Prefeito de Salgueiro(PE) é preso pela PF por desvio de água


A Polícia Federal cumpriu um Mandado de Busca e Apreensão na manhã desta terça-feira (17), expedido pelo juízo da 20ª Vara Federal de Salgueiro, na propriedade conhecida como Sítio Mulungu, e efetuou a prisão em flagrante do prefeito da região, Clebel Cordeiro (MDB), por estar retirando água da barragem do canal do São Francisco para o seu sítio através de bombas elétricas, e também porque o terreno estava avançando dentro da propriedade da União. 

O material de bombeamento de água foi apreendido e o prefeito foi preso em flagrante e conduzido para a Sede da Delegacia de Polícia Federal em Salgueiro, onde foi autuado por invadir terras da união com intenção de ocupa-las e furto de água.

As investigações tiveram início através de uma notícia crime encaminhada para o Ministério Público Federal que solicitou um Mandado de Busca e Apreensão no local. Cordeiro será encaminhado nesta quarta-feira (18) para realizar Exame de Corpo de Delito no IML - Instituto de Medicina Legal e em seguida será levado para a audiência de custódia onde será decidida a confirmação da Prisão Preventiva ou se será liberado para responder o processo em liberdade.

Em seu interrogatório o político informou que não tinha conhecimento que era proibido usar e retirar a água da barragem Mangueira, e que devido a esse desconhecimento retirava a água e usava para irrigar suas plantações de maracujá, manga e limão. Também alegou que não havia invadido as terras da união e que houve um processo de desapropriação da terra antes do início das obras da transposição do Rio São Francisco. 

Além de prefeito, Clebel também é empresário e teve passagem na presidência do Salgueiro Atlético Clube durante seis anos. A sua saída tem relação direta com o desejo de ingressar na vida política. Clebel está no terceiro ano de mandato.

Nenhum comentário

Regras do site

Não serão aceitos comentários que:

1. Excedam 500 caracteres com espaço;

2. Configurem crime de calúnia, injúria ou difamação;

Art. 140 - Injuriar alguém, ofendendo-lhe a dignidade ou o decoro.
Pena - detenção, de 1 (um) a 6 (seis) meses, ou multa.
É qualquer ofensa à dignidade de alguém. Na injúria, ao contrário da calúnia ou difamação, não se atribui um fato, mas uma opinião. O uso de palavras fortes como "ladrão", "idiota", "corrupto" e expressões de baixo calão em geral representam crime. A injúria pode fazer com que a pena seja ainda maior caso seja praticada com elementos referentes a raça, cor, etnia, religião ou origem.
Exemplo: um comentário onde o autor diga que fulano é ladrão, corrupto, burro, salafrário e por ai vai. Na mesma pena incorre quem, sabendo falsa a imputação, a propala ou divulga. Portanto, o titular deste blog poderá ser responsabilizado civil e criminalmente por tudo que aqui for escrito.

3. Sejam agressivos ou ofensivos, mesmo que de um comentarista para outro; ou contenham palavrões, insultos;

4. Não tenham relação com a nota publicada pelo Site.

Atenção: só serão disponibilizados no blog os comentários que respeitarem as regras acima expostas.