Rede de ensino AGES foi vendida por R$ 200 milhões a grupo empresarial de São Paulo

O Grupo empresarial paulista Ânima Educação comprou a Rede de Ensino AGES, principal instituição de ensino superior do Nordeste Baiano. O anúncio da compra foi feito na noite desta segunda-feira (05) pela própria universidade, e confirmado hoje (06) pela empresa do segmento educacional, por meio de comunicado ao mercado. 

A rede de ensino foi comprada pelo valor de R$ 200 milhões, em uma transação que envolve a aquisição de 74,03% das cotas das sociedades adquiridas por R$ 49,7 milhões, que serão pagos duas parcelas de R$ 44,7 (três dias após o acordo financeiro) e de R$ 5 milhões (após 60 dias), o aporte financeiro de R$ 65,3 milhões para pagamento de dívidas adquiridas e a contribuição, por parte dos vendedores, de 25,97% das cotas que eles ainda detém, no capital social da SOBEPE (subsidiária integral do Grupo Ânima), o que equivale ao valor de R$ 35 milhões. 

A AGES surgiu em 1982, em Paripiranga (BA), ainda como unidade de ensino básico, a partir da iniciativa do professor José Wilson dos Santos, hoje reitor da rede, que só em 2001 começou a funcionar como instituição de ensino superior, na cidade. 

De lá para cá, foi criado o campus da faculdade, hoje, centro universitário; e a instituição se expandiu, com faculdades, para outros municípios baianos (Jeremoabo, Senhor do Bonfim, Tucano, Jacobina) e para Lagarto, em Sergipe, além de contar com uma nova unidade em Irecê (BA) em fase final de credenciamento, e voltada exclusivamente ao curso de medicina. 

Em 2018, a AGES apresentou Receita Líquida de R$56,3 milhões, e só neste primeiro semestre de 2019, o faturamento foi de R$41,6 milhões, de acordo com o comunicado do grupo empresarial. 
Já a Ânima, é uma das principais organizações educacionais do Brasil e já conta com quatro instituições de ensino superior nos estados de São Paulo, Minas Gerais, Goiás, Paraná e Santa Catarina, além de possuir empresas que oferecem cursos online. 

Nenhum comentário

Regras do site

Não serão aceitos comentários que:

1. Excedam 500 caracteres com espaço;

2. Configurem crime de calúnia, injúria ou difamação;

Art. 140 - Injuriar alguém, ofendendo-lhe a dignidade ou o decoro.
Pena - detenção, de 1 (um) a 6 (seis) meses, ou multa.
É qualquer ofensa à dignidade de alguém. Na injúria, ao contrário da calúnia ou difamação, não se atribui um fato, mas uma opinião. O uso de palavras fortes como "ladrão", "idiota", "corrupto" e expressões de baixo calão em geral representam crime. A injúria pode fazer com que a pena seja ainda maior caso seja praticada com elementos referentes a raça, cor, etnia, religião ou origem.
Exemplo: um comentário onde o autor diga que fulano é ladrão, corrupto, burro, salafrário e por ai vai. Na mesma pena incorre quem, sabendo falsa a imputação, a propala ou divulga. Portanto, o titular deste blog poderá ser responsabilizado civil e criminalmente por tudo que aqui for escrito.

3. Sejam agressivos ou ofensivos, mesmo que de um comentarista para outro; ou contenham palavrões, insultos;

4. Não tenham relação com a nota publicada pelo Site.

Atenção: só serão disponibilizados no blog os comentários que respeitarem as regras acima expostas.