Dançarina é morta e músicos são feridos em ação da PM em Irecê-BA


Uma pessoa morreu e outras duas foram feridas a tiros na madrugada desta sexta-feira (5) na cidade de Irecê, no Centro Norte baiano, durante uma ação da Polícia Militar. A dançarina Gabriela Amorim, 25 anos, que integrava a banda de forró Sala de Reboco, do Ceará, não resistiu após também ser baleada na ação policial.

De acordo com a TV Bahia, quatro integrantes do grupo - duas dançarinas, o sanfoneiro e a cantora - e o motorista estavam em um carro quando o veículo foi atingido por tiros disparados por policiais militares que seguiam o veículo.
A Polícia Civil informou, em nota, que equipes da 14ª Coordenadoria Regional de Polícia do Interior de Irecê (14ª Coorpin) investigam as circunstâncias da morte da dançarina e mais duas pessoas feridas, durante a ação dos PMs. 
Além de Gabriela, foram atingidos pelos disparos o sanfoneiro Eliedelson Porcidônio Júnior, 32, e a cantora Joelma Rios.
A Polícia Civil não identificou oficialmente as vítimas. Gabriela, outra dançarina, o sanfoneiro e a cantora da banda estavam hospedados em Irecê e decidiram jantar em Lapão, cidade a cerca de 11 km de Irecê. Quando retornaram, foram seguidos pela polícia que começou a atirar contra o carro.
Gabriela foi socorrida para o Hospital Regional de Irecê, mas não resistiu ao ferimento. Não há informações sobre o estado de saúde dos feridos. 
A Polícia Militar informou, em nota, que o Comando de Policiamento Regional da Chapada (CPR) instaurou um Inquérito Policial Militar (IPM) que vai apurar as circunstâncias da ocorrência . A PM informou que no nomento da abordagem o  veículo trafegava na contramão, em alta velocidade. Imediatamente após o ocorrido, os pms registraram a ocorrência na Delegacia de Irecê, onde foram ouvidos.
"Segundo informações da Companhia Independente de Policiamento Tático (CIPT)/ Rondesp Chapada, uma guarnição da unidade flagrou um veículo modelo Hilux SW4, de cor preta, trafegando na contramão, no centro do município de Irecê, e iniciou o acompanhamento ao perceber que o motorista permanecia com uma direção perigosa. Dessa forma, foi pedido apoio ao 7º Batalhão e formado o primeiro bloqueio, na altura da Rua 1º de Janeiro. O condutor não respeitou o alerta de parada e um novo bloqueio foi estabelecido por equipes do 7º Batalhão, desta vez na Avenida Santos Lopes. Mais uma vez o veículo não obedeceu à ordem de parada, manobrando perigosamente pelo acostamento e dando continuidade à fuga pelo centro da cidade, em alta velocidade, transitando pela contramão, expondo a risco os próprios ocupantes do carro, outros usuários da via e transeuntes", afirmou a PM, em nota.
A PM informou que os disparos foram feitos após o carro furar os dois bloqueios policiais. "Após terem furado dois pontos ostensivos de bloqueio, houve disparo de arma de fogo e os pms abordaram os ocupantes, momento em que foram constatados dois feridos. No total, havia três mulheres e dois homens. Garrafas de bebidas alcoólicas foram encontradas no interior do automóvel. A guarnição imediatamente acionou o Samu que socorreu um homem, ferido na perna, e uma mulher, para o Hospital Geral de Irecê, onde a mulher não resistiu ao ferimento", destacou a PM. 
A Polícia Militar disse ainda, em nota, que lamenta profundamente o falecimento de Gabriela Moura e reafirma o compromisso com a apuração dos fatos.

Nenhum comentário

Regras do site

Não serão aceitos comentários que:

1. Excedam 500 caracteres com espaço;

2. Configurem crime de calúnia, injúria ou difamação;

Art. 140 - Injuriar alguém, ofendendo-lhe a dignidade ou o decoro.
Pena - detenção, de 1 (um) a 6 (seis) meses, ou multa.
É qualquer ofensa à dignidade de alguém. Na injúria, ao contrário da calúnia ou difamação, não se atribui um fato, mas uma opinião. O uso de palavras fortes como "ladrão", "idiota", "corrupto" e expressões de baixo calão em geral representam crime. A injúria pode fazer com que a pena seja ainda maior caso seja praticada com elementos referentes a raça, cor, etnia, religião ou origem.
Exemplo: um comentário onde o autor diga que fulano é ladrão, corrupto, burro, salafrário e por ai vai. Na mesma pena incorre quem, sabendo falsa a imputação, a propala ou divulga. Portanto, o titular deste blog poderá ser responsabilizado civil e criminalmente por tudo que aqui for escrito.

3. Sejam agressivos ou ofensivos, mesmo que de um comentarista para outro; ou contenham palavrões, insultos;

4. Não tenham relação com a nota publicada pelo Site.

Atenção: só serão disponibilizados no blog os comentários que respeitarem as regras acima expostas.