Ex-prefeito de Sítio do Quinto(BA) é penalizado financeiramente pelo Tribunal de Contas por deixar de cobrar multas


O conselheiro do Tribunal de Contas dos Municípios da Bahia (TCM-BA) Mário Negromonte julgou ser procedente o termo de ocorrência apresentado pela 3ª Divisão de Controle Externo (DCOE) da casa contra o ex-prefeito de Sítio do Quinto (BA) Cleigivaldo Carvalho Santa Rosa pela não cobrança de multas aplicadas pela Corte de Contas a terceiro, durante o exercício financeiro de 2010 a 2015.
As três multas aplicadas pelo tribunal somavam o valor total de R$64.250,64. Como segundo o TCM-BA, o então gestor da cidade, depois de ser comunicado do termo de ocorrência, não apresentou defesa o Ministério Público de Contas acabou opinando pela procedência do processo.
Diante do panorama, o conselheiro Mário Negromonte, relator do processo, votou nesta quarta-feira (12) pela aplicação de uma multa no valor de R$72.243,73 ao ex-prefeito, como forma de ressarcimento aos cofres públicos, e foi acompanhado; quatro colegas do conselheiro acompanharam o relatório e confirmaram a decisão, na 48ª sessão ordinária do tribunal.
De acordo com a decisão do TCM, que foi publicada no Diário Oficial da Corte de Contas nesta sexta (14), a multa deve ser recolhida aos cofres públicos do município no prazo máximo de 30 dias do seu trânsito em julgado.
Informações do TCM-BA.

Nenhum comentário

Regras do site

Não serão aceitos comentários que:

1. Excedam 500 caracteres com espaço;

2. Configurem crime de calúnia, injúria ou difamação;

Art. 140 - Injuriar alguém, ofendendo-lhe a dignidade ou o decoro.
Pena - detenção, de 1 (um) a 6 (seis) meses, ou multa.
É qualquer ofensa à dignidade de alguém. Na injúria, ao contrário da calúnia ou difamação, não se atribui um fato, mas uma opinião. O uso de palavras fortes como "ladrão", "idiota", "corrupto" e expressões de baixo calão em geral representam crime. A injúria pode fazer com que a pena seja ainda maior caso seja praticada com elementos referentes a raça, cor, etnia, religião ou origem.
Exemplo: um comentário onde o autor diga que fulano é ladrão, corrupto, burro, salafrário e por ai vai. Na mesma pena incorre quem, sabendo falsa a imputação, a propala ou divulga. Portanto, o titular deste blog poderá ser responsabilizado civil e criminalmente por tudo que aqui for escrito.

3. Sejam agressivos ou ofensivos, mesmo que de um comentarista para outro; ou contenham palavrões, insultos;

4. Não tenham relação com a nota publicada pelo Site.

Atenção: só serão disponibilizados no blog os comentários que respeitarem as regras acima expostas.