Ex-prefeito de Lagarto(SE) Valmir Monteiro tem prisão convertida em medidas cautelosas


O desembargador Diógenes Barreto, do Tribunal de Justiça de Sergipe (TJ/SE),  determinou nesta segunda-feira (10) que a prisão do prefeito de Lagarto, Valmir Monteiro (PSC), fosse convertida em medidas cautelosas.
Ficou determinado ainda o afastamento de Valmir do cargo e a proibição de acesso dele a locais que pertencem à administração pública direta ou indireta municipal, especialmente o matadouro de Lagarto.
Ainda na decisão o magistrado determina o comparecimento mensal na Escrivania da Câmara Criminal do Tribunal de Justiça de Sergipe até o quinto dia de cada mês para informar o endereço e justificar as suas atividades.
Por fim, o desembargador determinou o recolhimento domiciliar noturno de Valmir Monteiro a partir das 19 horas, podendo sair para trabalhar e realizar outras atividades após as 5 horas.
O alvará será cumprido pelo diretor do Presmil (Presídio Militar de Aracaju) nas próximas horas. Valmir estava preso há mais de 100 dias, desde o dia 22 de fevereiro, quando Promotores de Justiça do Gaeco do Ministério Público do Estado de Sergipe (MP-SE) deflagraram a ‘Operação Leak’, para cumprir mandados de prisão preventiva.
A investigação dizia respeito a supostos desvios de verbas públicas do matadouro do município e à prática do crime de lavagem de dinheiro.

Nenhum comentário

Regras do site

Não serão aceitos comentários que:

1. Excedam 500 caracteres com espaço;

2. Configurem crime de calúnia, injúria ou difamação;

Art. 140 - Injuriar alguém, ofendendo-lhe a dignidade ou o decoro.
Pena - detenção, de 1 (um) a 6 (seis) meses, ou multa.
É qualquer ofensa à dignidade de alguém. Na injúria, ao contrário da calúnia ou difamação, não se atribui um fato, mas uma opinião. O uso de palavras fortes como "ladrão", "idiota", "corrupto" e expressões de baixo calão em geral representam crime. A injúria pode fazer com que a pena seja ainda maior caso seja praticada com elementos referentes a raça, cor, etnia, religião ou origem.
Exemplo: um comentário onde o autor diga que fulano é ladrão, corrupto, burro, salafrário e por ai vai. Na mesma pena incorre quem, sabendo falsa a imputação, a propala ou divulga. Portanto, o titular deste blog poderá ser responsabilizado civil e criminalmente por tudo que aqui for escrito.

3. Sejam agressivos ou ofensivos, mesmo que de um comentarista para outro; ou contenham palavrões, insultos;

4. Não tenham relação com a nota publicada pelo Site.

Atenção: só serão disponibilizados no blog os comentários que respeitarem as regras acima expostas.