Rodrigo Maia ataca filhos de Bolsonaro 'Carlos é ‘doido’ e ‘radical’ e Eduardo Bolsonaro é ‘deslumbrado’


O presidente da Câmara, Rodrigo Maia (DEM-RJ), disse em entrevista ao site BuzzFeed, publicada nesta sexta-feira, 26, ter “convicção” de que o presidente Jair Bolsonaro está por trás dos arroubos digitais de seu filho Carlos Bolsonaro (PSC), classificado por Maia como “doido” e “radical”. Nos últimos dias, Carlos tem usado seu perfil no Twitter para fazer sucessivos ataques ao vice-presidente, Hamilton Mourão, acusando-o de conspirar para tomar o lugar do pai.

“Ninguém fica preocupado com Carlos, todo mundo tem convicção de que o Bolsonaro é que comanda isso. E eu não acredito, e ninguém acredita mais, que é o Carlos que comanda esse jogo”, disse Maia, que atua como um dos principais articuladores da reforma da Previdência na Câmara.

O deputado lembrou o polêmico tuíte com cenas pornográficas publicado na conta do próprio Jair Bolsonaro durante o Carnaval e o atribuiu a Carlos, que tem livre acesso às contas do presidente nas redes sociais. “Alguém coloca aquilo do golden shower sem o pai ver? O filho pode ser doido à vontade, mas num negócio daquela loucura só com autorização do dono da conta”, disse Rodrigo Maia.

Sobre o impacto dos ataques de Carlos Bolsonaro a Mourão no governo, Maia disse que “não atrapalha muito, não” e que “para quem está aqui perto, todo mundo sabe que é uma briga idiota”. Ele ponderou, no entanto, que entre investidores pode haver reflexos negativos. “Quem vai investir no país e vê o filho do presidente batendo no vice questiona isso. Acho que pode gerar insegurança em alguns atores que estão mais distantes”, afirmou.

Questionado sobre se imaginava que um vereador do Rio de Janeiro, como Carlos, poderia criar crises de amplitude nacional, Rodrigo Maia se limitou a responder que “o filho do presidente é um radical”.

O presidente da Câmara ainda comentou o fato de Jair Bolsonaro ter estimulado a candidatura de Carlos à Câmara Municipal do Rio em 2000, quando o vereador tinha apenas 17 anos, em uma eleição na qual teve como candidata a própria mãe, Rogéria Nantes.

“O Bolsonaro colocou o filho com 17 anos para disputar contra a própria mãe desse filho. Ele derrotou a mãe para vereador. Isso deve ser normal na cabeça de um ser humano? Derrotar uma mãe com 17 anos? Isso deve ter gerado muito problema na cabeça do Carlos. A informação que eu tenho, apenas de ouvir falar, é que eles ficaram sete anos sem se falar, ele e o pai”, afirmou Maia.

Ele ainda questionou o fato de o presidente atribuir sua vitória eleitoral em 2018 à atuação de Carlos Bolsonaro nas redes sociais. Bolsonaro diz com frequência que o filho deveria ser ministro e foi o responsável por ter virado presidente. “O que influenciou muito a eleição foi a facada que quase o matou. Se Bolsonaro achar que foi a internet que elegeu ele…”, avaliou.

Nenhum comentário

Regras do site

Não serão aceitos comentários que:

1. Excedam 500 caracteres com espaço;

2. Configurem crime de calúnia, injúria ou difamação;

Art. 140 - Injuriar alguém, ofendendo-lhe a dignidade ou o decoro.
Pena - detenção, de 1 (um) a 6 (seis) meses, ou multa.
É qualquer ofensa à dignidade de alguém. Na injúria, ao contrário da calúnia ou difamação, não se atribui um fato, mas uma opinião. O uso de palavras fortes como "ladrão", "idiota", "corrupto" e expressões de baixo calão em geral representam crime. A injúria pode fazer com que a pena seja ainda maior caso seja praticada com elementos referentes a raça, cor, etnia, religião ou origem.
Exemplo: um comentário onde o autor diga que fulano é ladrão, corrupto, burro, salafrário e por ai vai. Na mesma pena incorre quem, sabendo falsa a imputação, a propala ou divulga. Portanto, o titular deste blog poderá ser responsabilizado civil e criminalmente por tudo que aqui for escrito.

3. Sejam agressivos ou ofensivos, mesmo que de um comentarista para outro; ou contenham palavrões, insultos;

4. Não tenham relação com a nota publicada pelo Site.

Atenção: só serão disponibilizados no blog os comentários que respeitarem as regras acima expostas.