Justiça Eleitoral cassa diploma de prefeito e vice de Sítio do Mato-BA

A Justiça Eleitoral cassou o diploma eleitoral do prefeito de Sítio do Mato, Alfredo de Oliveira Magalhães Júnior, conhecido como Alfredinho (PDT), e da vice-prefeita Sofia Márcia Nunes Gonçalves.
A decisão expedida pelo juiz da 71ª Zona Eleitoral de Bom Jesus da Lapa, Roberto Paulo Prohmann Wolff, foi publicada no Diário da Justiça Eleitoral nesta segunda-feira (18).
A ação foi proposta pela coligação Juntos pela Renovação, que apontou abuso de poder econômico na gestão do prefeito em 2016. De acordo com os autos do processo, os denunciantes informaram que o prefeito gastou, só no primeiro semestre do ano de 2016, R$ 34.020,00 com publicidade em rádio local. "No mesmo período dos anos precedentes, gastou R$0,00 (2013), R$2.500,00 (2014) e

R$10.200,00 (2015)", diz a acusação.

Em sua defesa, o prefeito Alfredinho argumentou que a despesa de publicidade questionada pela coligação "trata-se de dispêndios oficiais de todos os setores do município e que não têm o condão de beneficiar a imagem da autoridade com vistas ao pleito eleitoral e que a publicidade atende aos princípios constitucionais da publicidade e da continuidade do serviço público".
Além da cassação do diploma, o juiz eleitoral condenou o prefeito à inelegibilidade pelo prazo de oito anos a contar da data da eleição realizada em 2016. O gestor ainda poderá recorrer da decisão.

Nenhum comentário

Regras do site

Não serão aceitos comentários que:

1. Excedam 500 caracteres com espaço;

2. Configurem crime de calúnia, injúria ou difamação;

Art. 140 - Injuriar alguém, ofendendo-lhe a dignidade ou o decoro.
Pena - detenção, de 1 (um) a 6 (seis) meses, ou multa.
É qualquer ofensa à dignidade de alguém. Na injúria, ao contrário da calúnia ou difamação, não se atribui um fato, mas uma opinião. O uso de palavras fortes como "ladrão", "idiota", "corrupto" e expressões de baixo calão em geral representam crime. A injúria pode fazer com que a pena seja ainda maior caso seja praticada com elementos referentes a raça, cor, etnia, religião ou origem.
Exemplo: um comentário onde o autor diga que fulano é ladrão, corrupto, burro, salafrário e por ai vai. Na mesma pena incorre quem, sabendo falsa a imputação, a propala ou divulga. Portanto, o titular deste blog poderá ser responsabilizado civil e criminalmente por tudo que aqui for escrito.

3. Sejam agressivos ou ofensivos, mesmo que de um comentarista para outro; ou contenham palavrões, insultos;

4. Não tenham relação com a nota publicada pelo Site.

Atenção: só serão disponibilizados no blog os comentários que respeitarem as regras acima expostas.