Cunhada do ex-prefeito José Ronaldo é assassinada em Riachão do Jacuípe-BA


Foi assassinada no início da noite de sábado (2), no Distrito de Barreiros, em Riachão do Jacuípe, Inês Oliveira Rios, de 70 anos. Segundo informações, um homem de Vila Aparecida, também em Riachão, que trabalhava para a vítima, foi o autor do crime, confessado à polícia horas depois de ser preso. Inês é ex-sogra do ex-vereador Luciano de Barreiros e cunhada do ex-prefeito José Ronaldo, que disputou a última eleição para o governo do Estado.

O crime aconteceu na residência da vítima, na Rua Nova, Distrito de Barreiros. Na versão inicial, houve um latrocínio (roubo seguido de morte), quando o homem havia invadido a residência de Inês Rios para assaltar, mas ela gritou por socorro e o criminoso então desferiu vários golpes de faca.
A Polícia Militar foi acionada e chegou a socorrer a vítima para o Hospital Municipal de Riachão do Jacuípe, mas ela morreu antes de dar entrada na unidade de saúde. Logo no início da noite houve um intensa movimentação da viatura da PM, na sede, o que despertou curiosidade por parte da população.
Nas redes sociais, uma filha da vítima postou uma foto do criminoso, já algemado, com a seguinte informação: “Foi esse homem que matou mamãe. Ela realmente foi assassinada. Não foi roubo. Ele trabalhava com ela”. O rapaz é filho de um homem conhecido por Zé do Porco, que morava em Vila Aparecida, mas também já falecido.
Devido à repercussão do fato, o ex-vereador Carlos Matos esteve no Hospital Municipal ao lado do presidente da Câmara Municipal, Toninho da CTI, e de Raimundo Falconery (Chuá) que prestaram solidariedade à família da vitima.
Nova versão
Existem versões desencontradas sobre o real motivo do assassinato de Inês Rios. Segundo uma delas, o rapaz ao confessar o crime alegou que estava conversando normalmente com Inês, mas que em determinado momento ela falou a respeito da morte do pai dele, que foi assassinado no ano passado, também com requintes de crueldade. O rapaz, então, disse que se irritou com o que ouviu dela e acabou cometendo o assassinato.

Nenhum comentário

Regras do site

Não serão aceitos comentários que:

1. Excedam 500 caracteres com espaço;

2. Configurem crime de calúnia, injúria ou difamação;

Art. 140 - Injuriar alguém, ofendendo-lhe a dignidade ou o decoro.
Pena - detenção, de 1 (um) a 6 (seis) meses, ou multa.
É qualquer ofensa à dignidade de alguém. Na injúria, ao contrário da calúnia ou difamação, não se atribui um fato, mas uma opinião. O uso de palavras fortes como "ladrão", "idiota", "corrupto" e expressões de baixo calão em geral representam crime. A injúria pode fazer com que a pena seja ainda maior caso seja praticada com elementos referentes a raça, cor, etnia, religião ou origem.
Exemplo: um comentário onde o autor diga que fulano é ladrão, corrupto, burro, salafrário e por ai vai. Na mesma pena incorre quem, sabendo falsa a imputação, a propala ou divulga. Portanto, o titular deste blog poderá ser responsabilizado civil e criminalmente por tudo que aqui for escrito.

3. Sejam agressivos ou ofensivos, mesmo que de um comentarista para outro; ou contenham palavrões, insultos;

4. Não tenham relação com a nota publicada pelo Site.

Atenção: só serão disponibilizados no blog os comentários que respeitarem as regras acima expostas.