Em depoimento, empresário diz ter recebido de Geddel pagamento de R$ 300 mil em dinheiro


Luiz Fernando Machado Costa, empresário acusado de lavagem de dinheiro em negócios imobiliários, relatou à Justiça ter recebido pagamento de R$ 300 mil em dinheiro vivo como parcela de um dos investimentos que o ex-deputado e ex-ministro Geddel Vieira Lima fez em empreendimentos imobiliários. As declarações foram feitas durante depoimento obtido pela TV Globo. 

De acordo com reportagem publicada pelo G1, o empresário investia em imóveis em parceria com os Vieira Lima e é réu no caso do apartamento encontrado pela Polícia Federal com R$ 51 milhões. Por conta do episódio, o ex-ministro continua preso. 

Em resposta às novas informações do caso que complica Geddel, a defesa do baiano afirmou que as respostas às acusações feitas pelo empresário já estão no processo que tramita no Supremo Tribunal Federal. Mais comentários específicos sobre o interrogatório não foram feitos.

A TV Globo relata que teve acesso ao vídeo do interrogatório ao STF, feito por videoconferência na Justiça Federal da Bahia, em outubro. No depoimento, o empresário  Luiz Fernando Machado Costa disse que recebeu R$ 300 mil em espécie na casa da mãe de Geddel, Marluce Vieira Lima, também ré na ação. “Eram maços de R$ 5 mil a R$ 10 mil”, contou.

O empresário foi questionado sobre a origem do dinheiro e repetiu o que disse ter ouvido – que os recursos eram provenientes da pecuária das fazendas da família . O questionamento, então, foi se ele não teve medo de sair com tamanha quantia do apartamento da mãe de Geddel. “Eu saía com o dinheiro e ia logo para o banco depositar. O banco é bem próximo”, respondeu. 

Machado declarou ainda à Polícia Federal que, a pedido de Geddel, do irmão Lúcio Vieira Lima e da mãe dos dois, Marluce Vieira Lima, destruíram anotações, agendas e documentos, e que destruíram papéis relacionados à empresa Cosbat, pertencente ao próprio Luiz Fernando Machado Costa.

A Procuradoria acusa Luiz Fernando Machado Costa de lavar “dinheiro sujo “ de Geddel com investimentos imobiliários. Machado disse sempre recebia os pagamentos dos investimentos imobiliários na casa da mãe de Geddel pelas mãos dela ou de Job Ribeiro, ex-assessor da família investigada.


Nenhum comentário

Regras do site

Não serão aceitos comentários que:

1. Excedam 500 caracteres com espaço;

2. Configurem crime de calúnia, injúria ou difamação;

Art. 140 - Injuriar alguém, ofendendo-lhe a dignidade ou o decoro.
Pena - detenção, de 1 (um) a 6 (seis) meses, ou multa.
É qualquer ofensa à dignidade de alguém. Na injúria, ao contrário da calúnia ou difamação, não se atribui um fato, mas uma opinião. O uso de palavras fortes como "ladrão", "idiota", "corrupto" e expressões de baixo calão em geral representam crime. A injúria pode fazer com que a pena seja ainda maior caso seja praticada com elementos referentes a raça, cor, etnia, religião ou origem.
Exemplo: um comentário onde o autor diga que fulano é ladrão, corrupto, burro, salafrário e por ai vai. Na mesma pena incorre quem, sabendo falsa a imputação, a propala ou divulga. Portanto, o titular deste blog poderá ser responsabilizado civil e criminalmente por tudo que aqui for escrito.

3. Sejam agressivos ou ofensivos, mesmo que de um comentarista para outro; ou contenham palavrões, insultos;

4. Não tenham relação com a nota publicada pelo Site.

Atenção: só serão disponibilizados no blog os comentários que respeitarem as regras acima expostas.