Everton Rocha reassume a prefeitura de Jaguarari(BA) pela quarta vez em 23 meses de administração

O cenário político e jurídico que atravessa o município de Jaguarari, no norte da Bahia, é um dos mais vergonhosos e vexatórios da história. Após uma batalha política entre a Câmara de Vereadores e o chefe do Executivo Municipal, o prefeito Everton Rocha (PSDB) recorreu para a esfera judicial, logrando uma série de incontáveis derrotas e vitórias.
Após passar por três cassações, um afastamento de 180 dias e algumas derrotas judiciais, na quinta-feira (6), corroborado pela desistência da Câmara de Vereadores, a Terceira Câmara Cível e o presidente do Tribunal de Justiça da Bahia (TJBA) determinaram a exclusão do recurso judicial e consequentemente a recondução de Everton Rocha ao cargo de prefeito de Jaguarari, decisão que foi cumprida no início da noite pela juíza substituta da cidade de Campo Formoso.
Esta é a quarta vez que o prefeito Everton Rocha reassume o posto de chefe do Executivo Municipal. A primeira foi em 21/02, a segunda em 31/03, a terceira em 01/11 e a quarta na quinta-feira, 06/12, tudo isso em apenas 23 meses de administração.
Na atual decisão não cabe recurso, haja vista a desistência da Câmara, mas o mérito da cassação poderá ser julgado pela Justiça. Também existe a segunda e terceira cassações que estão suspensas por decisões liminares e que a Câmara não se pronunciou se irá desistir ou não de continuar recorrendo.
Indefinição 
E ainda há a indefinição da Justiça sobre o afastamento de 180 dias, que expirou no início do mês de outubro, porém o TJBA não emitiu nenhuma decisão, se pela absolvição ou condenação do prefeito Everton Rocha, o que acaba gerando expectativas nos moradores que são contrários à sua administração. 
(Com informações do site Jaguarari Online)

Nenhum comentário

Regras do site

Não serão aceitos comentários que:

1. Excedam 500 caracteres com espaço;

2. Configurem crime de calúnia, injúria ou difamação;

Art. 140 - Injuriar alguém, ofendendo-lhe a dignidade ou o decoro.
Pena - detenção, de 1 (um) a 6 (seis) meses, ou multa.
É qualquer ofensa à dignidade de alguém. Na injúria, ao contrário da calúnia ou difamação, não se atribui um fato, mas uma opinião. O uso de palavras fortes como "ladrão", "idiota", "corrupto" e expressões de baixo calão em geral representam crime. A injúria pode fazer com que a pena seja ainda maior caso seja praticada com elementos referentes a raça, cor, etnia, religião ou origem.
Exemplo: um comentário onde o autor diga que fulano é ladrão, corrupto, burro, salafrário e por ai vai. Na mesma pena incorre quem, sabendo falsa a imputação, a propala ou divulga. Portanto, o titular deste blog poderá ser responsabilizado civil e criminalmente por tudo que aqui for escrito.

3. Sejam agressivos ou ofensivos, mesmo que de um comentarista para outro; ou contenham palavrões, insultos;

4. Não tenham relação com a nota publicada pelo Site.

Atenção: só serão disponibilizados no blog os comentários que respeitarem as regras acima expostas.