Ex-presidiário que participou de latrocínio contra PM morre em confronto com a polícia em Fátima-BA

Um homem identificado como José Lucas Bazi dos Santos, mais conhecido como Lagamel, é um outro envolvido com o crime que vitimou o sargento Marcos Antônio Borges de Campos, da Polícia Militar do Estado de Sergipe.

Lucas Bazi morreu ao reagir a chegada da Polícia, no início da manhã desta sexta, dia 07. Com ele, as equipes apreenderam um revólver calibre 38 com três munições deflagradas e meio quilo de maconha.

Em uma ação conjunta do 11º Batalhão da PM/SE, Complexo de Operações Policiais Especiais (Cope) e Divisão de Inteligência e Planejamneto Policial, Lucas Bazi foi localizado no povoado Jurema, em Fátima (BA), para onde fugiu depois da repercussão do crime. Ele ainda foi socorrido para o Hospital de Poço Verde (SE), mas não resistiu.

O sargento foi morto no último sábado, dia 1º, quando comemorava sua promoção na PM, ao lado de familiares. Ele ainda reagiu e matou um dos bandidos. Um adolescente de 16 anos se apresentou durante a semana no Cope. Lucas Bazi morava na região do Mosqueiro e foi o mentor do assalto. Ele já tem passagem pelo sistema prisional por tráfico de drogas.

Com informações: Assessoria de Comunicação Social SSP/SE

Nenhum comentário

Regras do site

Não serão aceitos comentários que:

1. Excedam 500 caracteres com espaço;

2. Configurem crime de calúnia, injúria ou difamação;

Art. 140 - Injuriar alguém, ofendendo-lhe a dignidade ou o decoro.
Pena - detenção, de 1 (um) a 6 (seis) meses, ou multa.
É qualquer ofensa à dignidade de alguém. Na injúria, ao contrário da calúnia ou difamação, não se atribui um fato, mas uma opinião. O uso de palavras fortes como "ladrão", "idiota", "corrupto" e expressões de baixo calão em geral representam crime. A injúria pode fazer com que a pena seja ainda maior caso seja praticada com elementos referentes a raça, cor, etnia, religião ou origem.
Exemplo: um comentário onde o autor diga que fulano é ladrão, corrupto, burro, salafrário e por ai vai. Na mesma pena incorre quem, sabendo falsa a imputação, a propala ou divulga. Portanto, o titular deste blog poderá ser responsabilizado civil e criminalmente por tudo que aqui for escrito.

3. Sejam agressivos ou ofensivos, mesmo que de um comentarista para outro; ou contenham palavrões, insultos;

4. Não tenham relação com a nota publicada pelo Site.

Atenção: só serão disponibilizados no blog os comentários que respeitarem as regras acima expostas.