Ambulância de Prefeitura baiana é flagrada em motel na capital


Um funcionário da Prefeitura de Itiúba, a 380 km de Salvador, tem utilizado uma das três ambulâncias da gestão municipal para fazer um serviço diferente na capital. Todas as segundas-feiras, o servidor usa o automóvel para ir a um motel localizado no bairro de Brotas, em Salvador. O flagrante é da equipe de reportagem do Aratu Online.
Nesta segunda (24/9), o feito se repetiu. Depois de receber uma denúncia anônima na última semana, chegamos ao local antes das 8h. Como de costume, a ambulância apareceu cerca de 20 minutos após, por volta das 8h10. Sem pressa, o motorista, que está de camisa azul, desce com sua acompanhante, vestida com uma blusa na cor branca.

É ele quem entra no prédio primeiro. Detalhe: o automóvel fica estacionado na porta do estabelecimento, visível para qualquer pessoa que passa na Avenida Teixeira Barros. Apuramos no local que, de acordo com as normas, veículos oficiais, ambulâncias e viaturas não podem ficar parados no estacionamento interno do motel.
Pouco menos de quatro horas depois, o funcionário da Prefeitura de Itiúba e a mulher saem pela mesma porta e entram no carro sem nenhuma cerimônia. No bairro, ninguém comenta o caso.
POSICIONAMENTO
A secretária de Saúde de Itiúba, Reimi Yamazaki, tomou conhecimento do fato pela reportagem do Aratu Online. A gestora, depois da denúncia, disse que entrou em contato com o motorista. Ele teria informado que costuma descansar no motel depois de dirigir por quatro horas. O rapaz, porém, não esclareceu a presença da mulher.
Reimi garantiu ao Aratu Online que o servidor, contratado por meio de REDA – um regime especial de contratação -, será ouvido formalmente assim que chegar na cidade. Segundo a Secretaria da Saúde, ele transporta todas as segundas-feiras um homem com câncer para o Hospital Aristides Maltez, que fica a poucos metros do motel.

Nenhum comentário

Regras do site

Não serão aceitos comentários que:

1. Excedam 500 caracteres com espaço;

2. Configurem crime de calúnia, injúria ou difamação;

Art. 140 - Injuriar alguém, ofendendo-lhe a dignidade ou o decoro.
Pena - detenção, de 1 (um) a 6 (seis) meses, ou multa.
É qualquer ofensa à dignidade de alguém. Na injúria, ao contrário da calúnia ou difamação, não se atribui um fato, mas uma opinião. O uso de palavras fortes como "ladrão", "idiota", "corrupto" e expressões de baixo calão em geral representam crime. A injúria pode fazer com que a pena seja ainda maior caso seja praticada com elementos referentes a raça, cor, etnia, religião ou origem.
Exemplo: um comentário onde o autor diga que fulano é ladrão, corrupto, burro, salafrário e por ai vai. Na mesma pena incorre quem, sabendo falsa a imputação, a propala ou divulga. Portanto, o titular deste blog poderá ser responsabilizado civil e criminalmente por tudo que aqui for escrito.

3. Sejam agressivos ou ofensivos, mesmo que de um comentarista para outro; ou contenham palavrões, insultos;

4. Não tenham relação com a nota publicada pelo Site.

Atenção: só serão disponibilizados no blog os comentários que respeitarem as regras acima expostas.