Suspeitos de ataques a agências de Jeremoabo e Cícero Dantas são presos em Salvador


Dois suspeitos de envolvimento nos assaltos a agências bancárias na cidade de Catu, a cerca de 100 km de Salvador, foram presos e apresentados à imprensa na manhã desta segunda-feira (27), na capital baiana.

A apresentação da dupla foi conduzida pelo diretor do Draco, delegado Marcelo Sansão, e o coordenador da Divisão de Crimes Contra Instituições Financeiras, do Draco, delegado Paulo Roberto Guimarães.

Identificados como Ueldon José Oliveira de Assis e Elielson Evangelista de Oliveira Souza, a dupla foi presa por policiais federais e civis, no sábado (25), na Unidade de Pronto Atendimento (UPA), do bairro de Itapuã, em Salvador.
De acordo com a polícia, Ueldon buscou atendimento médico no local após cair da moto que pilotava. A polícia não detalhou se Elielson também buscava atendimento na UPA por conta do acidente com a moto, disse apenas que ele estava com Ueldon no momento da prisão.

Segundo a polícia, Ueldon já cumpriu cinco anos de prisão por tráfico de drogas e, após violar a condicional, cumpriu mais um ano de prisão. Quando participou dos ataques de Catu, em março, Ueldon estava em liberdade há cerca de um mês.

Conforme apontam as investigações, a quadrilha migrou do tráfico de drogas para ataques a instituições financeiras e não possuía conhecimento prático ainda para as explosões criminosas. Em algumas tentativas eles não conseguiram acessar o dinheiro de terminais bancários detonados, sendo um dos fatores que facilitou a identificação dos criminosos.

Ainda de acordo com a Polícia Civil, a quadrilha também atacou bancos nos municípios de Cícero Dantas, Simões Filho e Jeremoabo. Outros seis integrantes do grupo foram presos, em maio deste ano, com armas e parte de dinheiro roubado, quando passavam pela BR-101, na região de Esplanada.

Nenhum comentário

Regras do site

Não serão aceitos comentários que:

1. Excedam 500 caracteres com espaço;

2. Configurem crime de calúnia, injúria ou difamação;

Art. 140 - Injuriar alguém, ofendendo-lhe a dignidade ou o decoro.
Pena - detenção, de 1 (um) a 6 (seis) meses, ou multa.
É qualquer ofensa à dignidade de alguém. Na injúria, ao contrário da calúnia ou difamação, não se atribui um fato, mas uma opinião. O uso de palavras fortes como "ladrão", "idiota", "corrupto" e expressões de baixo calão em geral representam crime. A injúria pode fazer com que a pena seja ainda maior caso seja praticada com elementos referentes a raça, cor, etnia, religião ou origem.
Exemplo: um comentário onde o autor diga que fulano é ladrão, corrupto, burro, salafrário e por ai vai. Na mesma pena incorre quem, sabendo falsa a imputação, a propala ou divulga. Portanto, o titular deste blog poderá ser responsabilizado civil e criminalmente por tudo que aqui for escrito.

3. Sejam agressivos ou ofensivos, mesmo que de um comentarista para outro; ou contenham palavrões, insultos;

4. Não tenham relação com a nota publicada pelo Site.

Atenção: só serão disponibilizados no blog os comentários que respeitarem as regras acima expostas.