Promotor e esposa são encontrados mortos no RJ

O promotor de Justiça Marcus Vinícius da Costa Moraes Leite e a servidora do Ministério Público do Rio de Janeiro Luciana Alves de Melo foram encontrados mortos nesta terça-feira (16/1) em um apartamento na Barra da Tijuca, na zona oeste da cidade do Rio. Os dois era casados.

De acordo com o Ministério Público, havia marca de tiro nos corpos. Segundo o órgão, uma arma de fogo foi encontrada no apartamento e a delegacia de homicídios confirmou que era do promotor. No local não havia indícios de invasão ou assalto. A Polícia Civil acredita que o incidente tenha ocorrido na madrugada de ontem (15), mas ainda não sabe determinar as circunstâncias das mortes.
O MP divulgou uma nota lamentando o caso. Veja a íntegra:
“O Ministério Público do Estado do Rio de Janeiro (MPRJ) informa que foram encontrados dois corpos no interior do apartamento situado à Rua Cel. Paulo Malta (…) na Barra da Tijuca, vítimas de projétil de arma de fogo, identificados como sendo o promotor de Justiça Marcus Vinicius da Costa Moraes Leite e a servidora do MPRJ Luciana Alves de Melo.
A arma de fogo foi encontrada no local, não havendo indícios de invasão ou assalto. A Polícia Civil acredita que os fatos ocorreram na madrugada de domingo para segunda, não sabendo determinar ainda as circunstâncias das mortes”. 
(Com informações da Agência Brasil)

Nenhum comentário

Regras do site

Não serão aceitos comentários que:

1. Excedam 500 caracteres com espaço;

2. Configurem crime de calúnia, injúria ou difamação;

Art. 140 - Injuriar alguém, ofendendo-lhe a dignidade ou o decoro.
Pena - detenção, de 1 (um) a 6 (seis) meses, ou multa.
É qualquer ofensa à dignidade de alguém. Na injúria, ao contrário da calúnia ou difamação, não se atribui um fato, mas uma opinião. O uso de palavras fortes como "ladrão", "idiota", "corrupto" e expressões de baixo calão em geral representam crime. A injúria pode fazer com que a pena seja ainda maior caso seja praticada com elementos referentes a raça, cor, etnia, religião ou origem.
Exemplo: um comentário onde o autor diga que fulano é ladrão, corrupto, burro, salafrário e por ai vai. Na mesma pena incorre quem, sabendo falsa a imputação, a propala ou divulga. Portanto, o titular deste blog poderá ser responsabilizado civil e criminalmente por tudo que aqui for escrito.

3. Sejam agressivos ou ofensivos, mesmo que de um comentarista para outro; ou contenham palavrões, insultos;

4. Não tenham relação com a nota publicada pelo Site.

Atenção: só serão disponibilizados no blog os comentários que respeitarem as regras acima expostas.