Ônibus que tombou em MG levava cerca de 40 funcionários da JBS em Goiás

O ônibus que tombou nesta segunda-feira (13), na BR-153, em Centralina (MG), transportava funcionários da JBS Couros, empresa braço da JBS que processa esse tipo de produto, localizada em Itumbiara, região sul de Goiás. Segundo a empresa, havia cerca de 40 colaboradores no veículo. A companhia e a concessionária que administra a rodovia divergem em relação ao número de feridos.
Em nota enviada ao G1, a JBS informou que o acidente ocorreu quando o ônibus, contratado pela empresa, levava cerca de 40 colaboradores após expediente na planta de Itumbiara.
O comunicado diz ainda que os funcionários foram atendidos no local e dois deles foram “acompanhados por um responsável da JBS até o hospital da cidade, mas sem sintomas graves”.
Por fim, a nota destaca que “os familiares estão cientes do ocorrido e recebendo toda assistência necessária da empresa”.
Já a Triunfo Concebra, que administra a rodovia, informou que seis vítimas foram levadas pela equipe emergencial e pelo Corpo de Bombeiros para o Hospital Municipal de Itumbiara, sem risco de morte. Os outros passageiros não precisaram de atendimento.

Segundo o Corpo de Bombeiros, o motorista alegou que um pneu furou, fazendo com que ele perdesse o controle da direção.

Nenhum comentário

Regras do site

Não serão aceitos comentários que:

1. Excedam 500 caracteres com espaço;

2. Configurem crime de calúnia, injúria ou difamação;

Art. 140 - Injuriar alguém, ofendendo-lhe a dignidade ou o decoro.
Pena - detenção, de 1 (um) a 6 (seis) meses, ou multa.
É qualquer ofensa à dignidade de alguém. Na injúria, ao contrário da calúnia ou difamação, não se atribui um fato, mas uma opinião. O uso de palavras fortes como "ladrão", "idiota", "corrupto" e expressões de baixo calão em geral representam crime. A injúria pode fazer com que a pena seja ainda maior caso seja praticada com elementos referentes a raça, cor, etnia, religião ou origem.
Exemplo: um comentário onde o autor diga que fulano é ladrão, corrupto, burro, salafrário e por ai vai. Na mesma pena incorre quem, sabendo falsa a imputação, a propala ou divulga. Portanto, o titular deste blog poderá ser responsabilizado civil e criminalmente por tudo que aqui for escrito.

3. Sejam agressivos ou ofensivos, mesmo que de um comentarista para outro; ou contenham palavrões, insultos;

4. Não tenham relação com a nota publicada pelo Site.

Atenção: só serão disponibilizados no blog os comentários que respeitarem as regras acima expostas.