Paulo Afonso-BA: Juíza do Trabalho é ameaçada por dono de funerária por bloqueio de contas

A juíza do Trabalho, Mirella Mendes Grassi Muniz, titular da Vara de Paulo Afonso, foi ameaçada por um empresário da cidade, inconformado com uma decisão judicial. José Roberto da Silva, proprietário de uma funerária, na última sexta-feira (21) fez confusão e pediu para falar com a juíza, que não estava. O empresário ameaçou voltar na segunda-feira (24) para reclamar com a juíza e calculista. A ameaça foi levada a conhecimento da presidente do Tribunal Regional do Trabalho da Bahia (TRT-BA), desembargadora Maria Adna Aguiar. A juíza conta agora com ajuda de dois agentes de segurança. O tribunal ainda vai apurar a situação e avaliar as instalações. Essa foi a segunda ameaça feita por José Roberto à juíza. A primeira foi no mês passado. A juíza Mirella Mendes determinou o bloqueio da conta do dono da funerária para o pagamento de dívidas trabalhistas. Com um histórico de passagens pela polícia, o empresário vai responder a inquérito aberto pela delegada local, que vai enviar o caso também à Justiça Federal. José Roberto da Silva já foi processado por tentativa de homicídio e está livre sob fiança. Com essa nova ocorrência, o Ministério Público da Bahia (MP-BA) deve pedir a prisão dele. Em outubro de 2016, ele foi preso por xingar a proprietária da funerária concorrente. Ele chegou a quebrar tudo no local.

BN

Nenhum comentário

Regras do site

Não serão aceitos comentários que:

1. Excedam 500 caracteres com espaço;

2. Configurem crime de calúnia, injúria ou difamação;

Art. 140 - Injuriar alguém, ofendendo-lhe a dignidade ou o decoro.
Pena - detenção, de 1 (um) a 6 (seis) meses, ou multa.
É qualquer ofensa à dignidade de alguém. Na injúria, ao contrário da calúnia ou difamação, não se atribui um fato, mas uma opinião. O uso de palavras fortes como "ladrão", "idiota", "corrupto" e expressões de baixo calão em geral representam crime. A injúria pode fazer com que a pena seja ainda maior caso seja praticada com elementos referentes a raça, cor, etnia, religião ou origem.
Exemplo: um comentário onde o autor diga que fulano é ladrão, corrupto, burro, salafrário e por ai vai. Na mesma pena incorre quem, sabendo falsa a imputação, a propala ou divulga. Portanto, o titular deste blog poderá ser responsabilizado civil e criminalmente por tudo que aqui for escrito.

3. Sejam agressivos ou ofensivos, mesmo que de um comentarista para outro; ou contenham palavrões, insultos;

4. Não tenham relação com a nota publicada pelo Site.

Atenção: só serão disponibilizados no blog os comentários que respeitarem as regras acima expostas.