TRE mantém cassação de vereador que trocava drogas por voto no Ceará

O Tribunal Regional Eleitoral no Ceará (TRE-CE) decidiu, nesta sexta-feira (26), manter a cassação do vereador Hélio Coutinho Lacerda (SD), do município de Independência (a 309 quilômetros de Fortaleza), acusado de associação ao tráfico de drogas em troca de votos.

Dr. Hélio Lacerda, como é conhecido, registrou novo pedido de candidatura no pleito de 2016, pelo Solidariedade. Nas eleições de 2012, quando foi eleito, o vereador teve seu diploma cassado antes mesmo de recebê-lo. Segundo o TRE-CE, ele associou-se a um traficante e pagou para que este cooptasse usuários de drogas para votar no vereador.
A relatora do recurso, desembargadora Naílde Pinheiro Nogueira, destacou em seu voto “o arcabouço probatório dos autos, que evidencia a existência de compra de votos, da forma mais repugnante possível, tendo como moeda de troca entorpecentes fornecidos a dependentes químicos”.

O voto da relatora foi acompanhado por todos os juízes da Corte do TRE-CE, “mantendo a cassação do diploma do recorrente e a aplicação de multa no valor de 50 mil UFIRs”.

Eleições 2016

Apesar da cassação do mandato anterior, Hélio Lacerda é novamente candidato. Em sua lista de bens, constam uma caminhonete no valor de R$ 33 mil e uma casa avaliada em R$ 100 mil. Em 2012, o total de bens declarados era de R$ 44 mil.
Quanto à inelegibilidade no pleito atual, o TRE afirma que caberá ao Juízo Eleitoral de Independência a avaliação.

O Tribuna do Ceará tentou contato com o partido Solidaridade, ao qual o candidato é filiado, mas as ligações não foram atendidas.

Fonte: Tribuna do Ceará


Ainda não segue CARLINO SOUZA nas redes sociais? Corre lá!

Twitter.com/CarlinoSouza

Nenhum comentário

Regras do site

Não serão aceitos comentários que:

1. Excedam 500 caracteres com espaço;

2. Configurem crime de calúnia, injúria ou difamação;

Art. 140 - Injuriar alguém, ofendendo-lhe a dignidade ou o decoro.
Pena - detenção, de 1 (um) a 6 (seis) meses, ou multa.
É qualquer ofensa à dignidade de alguém. Na injúria, ao contrário da calúnia ou difamação, não se atribui um fato, mas uma opinião. O uso de palavras fortes como "ladrão", "idiota", "corrupto" e expressões de baixo calão em geral representam crime. A injúria pode fazer com que a pena seja ainda maior caso seja praticada com elementos referentes a raça, cor, etnia, religião ou origem.
Exemplo: um comentário onde o autor diga que fulano é ladrão, corrupto, burro, salafrário e por ai vai. Na mesma pena incorre quem, sabendo falsa a imputação, a propala ou divulga. Portanto, o titular deste blog poderá ser responsabilizado civil e criminalmente por tudo que aqui for escrito.

3. Sejam agressivos ou ofensivos, mesmo que de um comentarista para outro; ou contenham palavrões, insultos;

4. Não tenham relação com a nota publicada pelo Site.

Atenção: só serão disponibilizados no blog os comentários que respeitarem as regras acima expostas.