Tio e sobrinho de prefeito no CE são denunciados por morte de radialista

Radialista que fazia denúncias políticas foi assassinado em 6 de agosto. Segundo Ministério Público, tio e sobrinho estavam irritados com críticas.


O Ministério Público Estadual do Ceará (MP-CE) denunciou sete pessoas por envolvimento no planejamento e morte do radialista Glaydson Carvalho, assassinado em 6 de agosto, na cidade de Camocim, a 379 quilômetros de Fortaleza. Carvalho foi baleado durante a apresentação de um programa na emissora. Entre os denunciados pelo MP-CE, estão o tio e o sobrinho do prefeito da cidade de Martinópole. Segundo a denúncia apresentados pelo órgão, os dois estavam irritados com as críticas do jornalista.
Além deles, foram denunciados dois homens apontados como os autores do crime e duas mulheres e um homem suspeitos de dar cobertura ao plano, além de auxiliar a na fuga dos suspeitos. Um casal e o sobrinho do prefeito de Martinópole, o qual também é o tesoureiro da cidade, estão presos.
O crime
Segundo a Polícia Militar, os dois homens contratados chegaram à rádio dizendo que queriam fazer um anúncio, logo em seguida, renderam a recepcionista. Eles invadiram o estúdio onde Gleydson apresentava um programa, dispararam contra o radialista e fugiram.

Segundo testemunhas, na hora do homicídio, a transmissão estava com programação musical. A vítima chegou a ser socorrida e levada para o Hospital Deputado Murilo Aguiar, mas morreu no caminho.
A polícia segue nas buscas pelos suspeitos. Gleydson Carvalho era conhecido na cidade por ser apresentador de um programa que faz denúncias contra políticos da região.
G1
Acompanhe o Blog do Carlino Souza também pelo InstagramTwitter™ e pelo Facebook

Nenhum comentário

Regras do site

Não serão aceitos comentários que:

1. Excedam 500 caracteres com espaço;

2. Configurem crime de calúnia, injúria ou difamação;

Art. 140 - Injuriar alguém, ofendendo-lhe a dignidade ou o decoro.
Pena - detenção, de 1 (um) a 6 (seis) meses, ou multa.
É qualquer ofensa à dignidade de alguém. Na injúria, ao contrário da calúnia ou difamação, não se atribui um fato, mas uma opinião. O uso de palavras fortes como "ladrão", "idiota", "corrupto" e expressões de baixo calão em geral representam crime. A injúria pode fazer com que a pena seja ainda maior caso seja praticada com elementos referentes a raça, cor, etnia, religião ou origem.
Exemplo: um comentário onde o autor diga que fulano é ladrão, corrupto, burro, salafrário e por ai vai. Na mesma pena incorre quem, sabendo falsa a imputação, a propala ou divulga. Portanto, o titular deste blog poderá ser responsabilizado civil e criminalmente por tudo que aqui for escrito.

3. Sejam agressivos ou ofensivos, mesmo que de um comentarista para outro; ou contenham palavrões, insultos;

4. Não tenham relação com a nota publicada pelo Site.

Atenção: só serão disponibilizados no blog os comentários que respeitarem as regras acima expostas.