Ex-Prefeito do PMDB flagra esposa na cama com Deputado

Ex-prefeito de Catolé conta pela 1ª vez motivos do rompimento com o primo e deputado


Em entrevista ao Portal MaisPB, o ex-prefeito da cidade de Catolé do Rocha, no Sertão da Paraíba, Lauro Sérgio Maia de Vasconcelos confirmou rompimento com o deputado estadual Gervásio Maia – candidato à reeleição. Ele disse que passa a apoiar a candidatura do deputado estadual Manoel Ludgério (PSD) à reeleição. Amanhã, em horário ainda a ser definido, Lauro se reunirá com Ludgério e integrantes do Diretório Municipal do PMDB.

O motivo do rompimento, conforme Lauro Maia, foi passional. Ele diz ter encontrado a esposa Sandra Mara fazendo sexo com Gervásio. Lauro disse que, agora, está separado de Sandra Mara Rafael Diniz e já deu entrada no pedido de divórcio.

“Rompi com Gervásio pela traição ao povo de Catolé. Peguei ele com a minha mulher em minha cama, na minha casa. Gervásio desrespeitou a mim. Me traiu! Desrespeitou minha família dentro de minha casa e traiu Catolé. E eu tratava Gervásio como filho...!”, disse o ex-prefeito Lauro Maia ao Portal MaisPB. 

O Portal MaisPB tentou contato com o deputado Gervásio Maia. A assessoria do deputado estadual solicitou tempo para localizar o parlamentar do PMDB e oficializar um posicionamento a respeito das declarações de Lauro Maia.
Jãmarrí Nogueira - 

Com Informações: Mais PB

Acompanhe o Blog do Carlino Souza também pelo Instagram, Twitter™ e pelo Facebook

Nenhum comentário

Regras do site

Não serão aceitos comentários que:

1. Excedam 500 caracteres com espaço;

2. Configurem crime de calúnia, injúria ou difamação;

Art. 140 - Injuriar alguém, ofendendo-lhe a dignidade ou o decoro.
Pena - detenção, de 1 (um) a 6 (seis) meses, ou multa.
É qualquer ofensa à dignidade de alguém. Na injúria, ao contrário da calúnia ou difamação, não se atribui um fato, mas uma opinião. O uso de palavras fortes como "ladrão", "idiota", "corrupto" e expressões de baixo calão em geral representam crime. A injúria pode fazer com que a pena seja ainda maior caso seja praticada com elementos referentes a raça, cor, etnia, religião ou origem.
Exemplo: um comentário onde o autor diga que fulano é ladrão, corrupto, burro, salafrário e por ai vai. Na mesma pena incorre quem, sabendo falsa a imputação, a propala ou divulga. Portanto, o titular deste blog poderá ser responsabilizado civil e criminalmente por tudo que aqui for escrito.

3. Sejam agressivos ou ofensivos, mesmo que de um comentarista para outro; ou contenham palavrões, insultos;

4. Não tenham relação com a nota publicada pelo Site.

Atenção: só serão disponibilizados no blog os comentários que respeitarem as regras acima expostas.