Operação policial desmanchar esquema que desviou mais de R$ 200 milhões de Prefeituras na PB

Agora pela manhã, 63 mandados de busca e apreensão estão sendo cumpridos em diversas prefeituras paraibanas, 15 empresas de construção civil, escritórios de contabilidade e residências de suspeitos de envolvimento em um esquema de fraudes em licitações e lavagem de dinheiro.
Os mandados são resultado da ‘Papel Timbrado’, uma operação conjunta do Gaeco/MPPB, em parceria com o MPF, CGU, TCE, TCU, Polícia Civil, PM e pelo Conselho Administrativo de Defesa Econômica.


A operação – que envolve 22 promotores de Justiça, 16 servidores da CGU, um do TCU, 21 do TCE, 74 policiais militares e 81 policiais civis - faz parte de uma investigação que envolve uma série de crimes, como frustração do caráter competitivo de licitações; lavagem ou ocultação de ativos financeiros; falsidade ideológica e participação em organização criminosa.

Às 11h00, será concedida uma entrevista coletiva à imprensa no auditório da Procuradoria-Geral de Justiça do MPPB, localizado no Centro de João Pessoa. O esquema envolve 53 empresas do ramo da construção civil (muitas delas são ‘fantasmas’) para obtenção de documentos falsificados para participação de licitações.
A fraude seria de R$ 200 milhões. Levantamentos realizados pelo Gaeco também demonstram que, em três anos (de 2011 a 2013), as 15 empresas mais utilizadas integrantes da organização criminosa foram beneficiadas com contratos cujos valores ultrapassaram R$ 60 milhões e com pagamentos já realizados que superaram R$ 45 milhões, conforme dados obtidos junto ao TCE-PB.
Equipes de fiscalização da CGU visitaram obras que estariam sendo realizadas pelas empresas investigadas em seis municípios paraibanos e constataram indícios de que as obras são executadas pelas próprias prefeituras. Os gestores usariam as empresas fantasmas para desvio das verbas.
GiroPB
Acompanhe o Blog do Carlino Souza também pelo Twitter™ e pelo Facebook.

Nenhum comentário

Regras do site

Não serão aceitos comentários que:

1. Excedam 500 caracteres com espaço;

2. Configurem crime de calúnia, injúria ou difamação;

Art. 140 - Injuriar alguém, ofendendo-lhe a dignidade ou o decoro.
Pena - detenção, de 1 (um) a 6 (seis) meses, ou multa.
É qualquer ofensa à dignidade de alguém. Na injúria, ao contrário da calúnia ou difamação, não se atribui um fato, mas uma opinião. O uso de palavras fortes como "ladrão", "idiota", "corrupto" e expressões de baixo calão em geral representam crime. A injúria pode fazer com que a pena seja ainda maior caso seja praticada com elementos referentes a raça, cor, etnia, religião ou origem.
Exemplo: um comentário onde o autor diga que fulano é ladrão, corrupto, burro, salafrário e por ai vai. Na mesma pena incorre quem, sabendo falsa a imputação, a propala ou divulga. Portanto, o titular deste blog poderá ser responsabilizado civil e criminalmente por tudo que aqui for escrito.

3. Sejam agressivos ou ofensivos, mesmo que de um comentarista para outro; ou contenham palavrões, insultos;

4. Não tenham relação com a nota publicada pelo Site.

Atenção: só serão disponibilizados no blog os comentários que respeitarem as regras acima expostas.