Polícia fecha o cerco a políticos e empresários fraudadores da merenda escolar

Uma investigação que revelou um prejuízo de R$ 5 milhões aos cofres públicos por fraudes em licitações para fornecimento de merenda escolar nos últimos cinco anos foi deflagrada, ontem, pela Polícia Federal (PF) e a Controladoria Geral da União (CGU), em parceria com o Tribunal de Contas do Estado (TCE).

Denominada Operação Fastio, a investigação apontou envolvimento de empresários, um ex-prefeito de Salgadinho (de nome não revelado) e indícios de participação de servidores públicos no esquema. As irregularidades teriam ocorrido nas prefeituras de São Lourenço da Mata, Vitória de Santo Antão, Ipojuca e Salgadinho.

Foram expedidas 14 ordens judiciais de busca e apreensão e sete conduções coercitivas de pessoas à sede da Polícia Federal do Recife. A CGU fará relatórios com recomendações às prefeituras. A investigação teve como foco contratos com maior aporte de verbas federais.

Segundo a apuração, foram identificadas irregularidades que vão desde o início do processo licitatório, com empresas que possuem laços de parentescos entre seus sócios, o uso de pessoas como “laranjas” para mascarar a concorrência até o superfaturamento de 95% no valor dos produtos alimentícios. Também foram apreendidos um revólver calibre 38, R$ 37 mil e fubá com a data de validade adulterada.
 
As penas para os suspeitos podem chegar a 18 anos de prisão. A Polícia Federal confirmou há outros municípios sendo investigados. 
 
( Do Diário de Pernambuco )

Nenhum comentário

Regras do site

Não serão aceitos comentários que:

1. Excedam 500 caracteres com espaço;

2. Configurem crime de calúnia, injúria ou difamação;

Art. 140 - Injuriar alguém, ofendendo-lhe a dignidade ou o decoro.
Pena - detenção, de 1 (um) a 6 (seis) meses, ou multa.
É qualquer ofensa à dignidade de alguém. Na injúria, ao contrário da calúnia ou difamação, não se atribui um fato, mas uma opinião. O uso de palavras fortes como "ladrão", "idiota", "corrupto" e expressões de baixo calão em geral representam crime. A injúria pode fazer com que a pena seja ainda maior caso seja praticada com elementos referentes a raça, cor, etnia, religião ou origem.
Exemplo: um comentário onde o autor diga que fulano é ladrão, corrupto, burro, salafrário e por ai vai. Na mesma pena incorre quem, sabendo falsa a imputação, a propala ou divulga. Portanto, o titular deste blog poderá ser responsabilizado civil e criminalmente por tudo que aqui for escrito.

3. Sejam agressivos ou ofensivos, mesmo que de um comentarista para outro; ou contenham palavrões, insultos;

4. Não tenham relação com a nota publicada pelo Site.

Atenção: só serão disponibilizados no blog os comentários que respeitarem as regras acima expostas.