Inconformado com separação, vereador mata ex-mulher com três tiros na frente da casa dela, e se suicida


Um vereador do município de Serra do Salitre (MG) matou a ex-mulher com três tiros no tórax na tarde desta terça-feira em frente à residência dela, no bairro Parque Santo Antônio, por não aceitar o fim do relacionamento, segundo testemunhas. Em seguida, Wagner Silva, de 50 anos, efetuou outro disparo na direção do próprio peito. Ambos chegaram a ser socorridos, mas não resistiram aos ferimentos. 
Segundo informações da Polícia Militar de Minas Gerais, o vereador Wagner, conhecido como Waguinho Jr. (PTC-MG), não aceitava ter se separado de Gislene Aparecida de Souza, de 38 anos. Testemunhas relataram que o ex-marido foi visto andando nas proximidades da casa de sua ex-mulher por volta das 15h desta terça-feira, pouco antes da chegada dela, pois ele já conheceria seus horários. Quando a vítima estacionou seu carro e seguiu na direção do local onde morava, carregando uma caixa de panetone, conforme consta no boletim de ocorrência, Wagner começou a atirar, na frente de toda a vizinhança.

Ao ser atingida três vezes, Gislene, que trabalhava como supervisora de uma escola, caiu e bateu com a cabeça no chão, causando mais um ferimento. As pessoas que presenciaram a cena acionaram a polícia, mas quando os PMs chegaram ao local eles já tinham sido socorridos. Os vizinhos contaram aos policiais que o vereador estava com muitos ciúmes e demonstrava estar revoltado com a separação. A arma de fogo calibre 38 usada no crime e uma faca que estava próxima, junto ao meio-fio da rua, foram apreendidas. Os celulares de Wagner e Gislene também foram recolhidos. A Polícia Civil foi chamada para realizar a perícia. O caso foi registrado da central de flagrantes do município de Patrocínio. Será instaurado um procedimento para apuração dos fatos. A Prefeitura de Serra do Salitre emitiu uma nota de pesar em sua página do Facebook, decretando luto na cidade. 
"A administração municipal expressa, através deste, profundo pesar pelo acontecido hoje (terça-feira), e se solidariza com os familiares e amigos neste momento de dor", afirma. 
Amigos e parentes de Gislene também expressaram seus sentimentos diante do ocorrido em seus perfis da rede social. 

"E que a lembrança do seu sorriso possa confortar a minha dor. Minha irmã, minha amiga. Te amo!", escreveu o irmão da vítima, ao compartilhar uma foto dos dois juntos.

Nenhum comentário

Regras do site

Não serão aceitos comentários que:

1. Excedam 500 caracteres com espaço;

2. Configurem crime de calúnia, injúria ou difamação;

Art. 140 - Injuriar alguém, ofendendo-lhe a dignidade ou o decoro.
Pena - detenção, de 1 (um) a 6 (seis) meses, ou multa.
É qualquer ofensa à dignidade de alguém. Na injúria, ao contrário da calúnia ou difamação, não se atribui um fato, mas uma opinião. O uso de palavras fortes como "ladrão", "idiota", "corrupto" e expressões de baixo calão em geral representam crime. A injúria pode fazer com que a pena seja ainda maior caso seja praticada com elementos referentes a raça, cor, etnia, religião ou origem.
Exemplo: um comentário onde o autor diga que fulano é ladrão, corrupto, burro, salafrário e por ai vai. Na mesma pena incorre quem, sabendo falsa a imputação, a propala ou divulga. Portanto, o titular deste blog poderá ser responsabilizado civil e criminalmente por tudo que aqui for escrito.

3. Sejam agressivos ou ofensivos, mesmo que de um comentarista para outro; ou contenham palavrões, insultos;

4. Não tenham relação com a nota publicada pelo Site.

Atenção: só serão disponibilizados no blog os comentários que respeitarem as regras acima expostas.