Após ação do MP Eleitoral, prefeito e vice-prefeito de Neópolis(SE) são afastados do cargo

O Tribunal Regional Eleitoral em Sergipe (TRE/SE) rejeitou por 4 votos a 3 o recurso apresentado pelo prefeito e pelo vice-prefeito de Neópolis, Luiz Melo de França e José Miguel Lobo, respectivamente. 
Com a decisão, eles permanecem com os mandatos cassados e serão afastados dos cargos. Assumirá o comando do município o presidente da Câmara dos Vereadores. “Nesse caso, novas eleições só podem ser convocadas após decisão do Tribunal Superior Eleitoral”, explica a procuradora regional eleitoral, Eunice Dantas. “O prefeito, conhecido como dr. Luizinho, foi cassado por ter atendido pacientes gratuitamente no município durante a pré-campanha, ato que configura abuso de poder e compra de votos”, explica a procuradora. Com a sentença, os dois estão inelegíveis por oito anos.
De acordo com o parecer do MP Eleitoral, durante a investigação, dr. Luizinho confirmou que, após se desincompatibilizar do cargo público que ocupava no hospital local, continuou receitando as pessoas em casa até a data das convenções partidárias. 
Para o MP, no período em que já era amplamente conhecido como pré-candidato, França realizou atendimento médico “fora das hipóteses de urgência e emergência por candidato às eleições municipais, justamente no município em que se candidatara”. Assim, a conduta do candidato “configurou em vantagem ao eleitor com o objetivo de angariar votos, desequilibrando a corrida eleitoral”.
Número para acompanhamento processual no TRE: 328-21.2016.6.25.0015
Assessoria de Comunicação Ministério Público Federal em Sergipe

Nenhum comentário

Regras do site

Não serão aceitos comentários que:

1. Excedam 500 caracteres com espaço;

2. Configurem crime de calúnia, injúria ou difamação;

Art. 140 - Injuriar alguém, ofendendo-lhe a dignidade ou o decoro.
Pena - detenção, de 1 (um) a 6 (seis) meses, ou multa.
É qualquer ofensa à dignidade de alguém. Na injúria, ao contrário da calúnia ou difamação, não se atribui um fato, mas uma opinião. O uso de palavras fortes como "ladrão", "idiota", "corrupto" e expressões de baixo calão em geral representam crime. A injúria pode fazer com que a pena seja ainda maior caso seja praticada com elementos referentes a raça, cor, etnia, religião ou origem.
Exemplo: um comentário onde o autor diga que fulano é ladrão, corrupto, burro, salafrário e por ai vai. Na mesma pena incorre quem, sabendo falsa a imputação, a propala ou divulga. Portanto, o titular deste blog poderá ser responsabilizado civil e criminalmente por tudo que aqui for escrito.

3. Sejam agressivos ou ofensivos, mesmo que de um comentarista para outro; ou contenham palavrões, insultos;

4. Não tenham relação com a nota publicada pelo Site.

Atenção: só serão disponibilizados no blog os comentários que respeitarem as regras acima expostas.