Seja bem-vindo(a) ao Portal Carlino Souza, A Maior fonte de informação do interior do Estado da Bahia.  Coronel João Sá-BA,

Zé Ronaldo é denunciado pelo MP por burlar regra de licitação


O ex-prefeito de Feira de Santana, José Ronaldo de Carvalho, foi denunciado na terça-feira, 20, pelo Ministério Público do Estado (MP-BA) por burlar exigência de licitação em contrato no valor de R$ 6,4 milhões entre o município (distante a 109 km de Salvador) e a Cooperativa de Serviços Profissionais Especializados em Saúde (Coopersade).
O MP também denunciou o advogado Cleudson Santos Almeida e a enfermeira Denise Lima Mascarenhas. Na época do contrato, eles ocupavam os cargos de subprocurador e de secretária de Saúde.
De acordo com o autor da ação, o promotor de Justiça Tiago Quadros, o contrato irregular foi realizado como continuidade a um contrato emergencial, de prestação de serviços em saúde, cuja vigência havia terminado em 4 de abril de 2013.
Quadros aponta que “os denunciados simularam a realização do processo de dispensa de licitação”, inclusive com a obtenção de orçamentos de duas empresas “completamente estranhas” ao processo de dispensa.
Ainda segundo a denúncia, o subprocurador Cleudson Almeida, que à época era advogado trabalhista da própria Coopersade, emitiu um parecer distorcendo a norma estadual para driblar exigências da lei federal de licitações.
O promotor também ressalta que nunca foi dada publicidade ao processo ilegal de dispensa na imprensa oficial, pois o objetivo era de “não despertar a atenção” de empresas que participavam de licitação com objeto semelhante ao contrato firmado com a cooperativa.
A licitação foi depois revogada e a revogação publicada pelo município em 6 de maio de 2013, dois dias antes de ser veiculado na imprensa oficial o resultado da dispensa ilegal de licitação.

Nenhum comentário

Regras do site

Não serão aceitos comentários que:

1. Excedam 500 caracteres com espaço;

2. Configurem crime de calúnia, injúria ou difamação;

Art. 140 - Injuriar alguém, ofendendo-lhe a dignidade ou o decoro.
Pena - detenção, de 1 (um) a 6 (seis) meses, ou multa.
É qualquer ofensa à dignidade de alguém. Na injúria, ao contrário da calúnia ou difamação, não se atribui um fato, mas uma opinião. O uso de palavras fortes como "ladrão", "idiota", "corrupto" e expressões de baixo calão em geral representam crime. A injúria pode fazer com que a pena seja ainda maior caso seja praticada com elementos referentes a raça, cor, etnia, religião ou origem.
Exemplo: um comentário onde o autor diga que fulano é ladrão, corrupto, burro, salafrário e por ai vai. Na mesma pena incorre quem, sabendo falsa a imputação, a propala ou divulga. Portanto, o titular deste blog poderá ser responsabilizado civil e criminalmente por tudo que aqui for escrito.

3. Sejam agressivos ou ofensivos, mesmo que de um comentarista para outro; ou contenham palavrões, insultos;

4. Não tenham relação com a nota publicada pelo Site.

Atenção: só serão disponibilizados no blog os comentários que respeitarem as regras acima expostas.