Seja bem-vindo(a) ao Portal Carlino Souza, A Maior fonte de informação do interior do Estado da Bahia.  Coronel João Sá-BA,

Palmeiras vence Colo-Colo e chega à primeira semi de Libertadores desde 2001


O Palmeiras mostrou que conseguiria a classificação desde o primeiro minuto. Não com um futebol de encher os olhos, mas com uma tranquilidade para acalmar os corações. Tendo a vantagem conquistada em Santiago nas mãos, o Verdão não se expôs e aceitou o ritmo lento a partida no início do confronto.

Quando o Colo-Colo tentava deixar o campo defensivo, o Alviverde até subia a marcação com Dudu, Willian e Borja, mas sem pressionar o atleta que tinha a bola. Os visitantes, por sua vez, mantiveram a aposta no sistema com três zagueiros e viram os dois homens de meio-campo serem facilmente engolidos pelo trio central do Palestra.

Trio este que teve posicionamento inédito nesta quarta. Ao contrário do habitual 4-2-3-1, o Maior Campeão do Brasil jogou no 4-4-2 com um losango no meio-campo. Thiago Santos foi o primeiro homem à frente da zaga, Moisés esteve ao lado de Bruno Henrique e Dudu atuou como enganche. O 7 do Palmeiras esteve melhor que o 10 cacique na armação.

Valdívia, que em Santiago teve boa atuação, mas não conseguiu ser decisivo, jogou os primeiros 45 minutos ao lado de Lucas Barrios, quase como atacante. A intenção de tornar o Mago mais efetivo na verdade deixou a equipe chilena ainda menos criativa. E o Palmeiras aceitou o jogo morno, com exceção de Eduardo Pereira Rodrigues.
Dudu desperta o Palmeiras e brilha
Como em um despertar pessoal e da equipe, Dudu dominou rebatida adversária e avançou do círculo central até a intermediária, onde pedalou e disparou uma bomba de canhota no ângulo para abrir o placar aos 36 minutos do primeiro tempo. A classificação palestrina ficou ainda mais evidente, mas o jogo ganhou em emoção.

Minutos depois, o Colo-Colo só não empatou por milagre de Weverton, que defendeu chute de Insaurralde à queima-roupa dentro da área. Na volta do intervalo, Héctor Tapia já havia trocado Barroso e Baeza por Felipe Campo e Morales. A entrada de um lateral-direito e um atacante fez os chilenos retomarem uma linha de quatro homens na defesa e Valdívia voltou ao meio-campo.


Mas foi o ‘falso’ armador palmeirense quem seguiu brilhando. Aos seis minutos, Dudu recebeu na esquerda, pedalou para cima da marcação, conseguiu o drible em direção à linha de fundo e foi puxado por Opazo dentro da área. A arbitragem marcou o pênalti e, na cobrança, Borja bateu firme, no alto, para fazer o segundo do Palmeiras. O tento fez o colombiano igualar Morelo na artilharia da Libertadores: são nove bolas nas redes em dez partidas.

O Verdão voltou a assustar aos 24 minutos, quando Bruno Henrique acertou cobrança por cima da barreira, mas a bola explodiu no travessão. Na reta final de partida, Felipão sacou Dudu, Borja e Willian para as entradas de Hyoran, Deyverson e Jean, respectivamente.

O trio ‘reserva’ ainda deu trabalho para o goleiro Orion, mas o placar permaneceu com a segunda vitória palmeirense para cima do Colo-Colo por 2 a 0. Agora, o Palestra aguarda quem avança entre Cruzeiro e Boca Juniors para saber seu primeiro adversário de semifinal de Libertadores desde 2001. 

FICHA TÉCNICA
PALMEIRAS 2 x 0 COLO-COLO
Data: 3 de outubro de 2018, quarta-feira
Local: Allianz Parque, em São Paulo-SP
Horário: 21h45 (de Brasília)
Árbitro: Wilmar Roldan (COL)
Assistentes: Cristian de la Cruz (COL) e Alexander Guzman (COL)
Cartões amarelos: Zaldivia (CLC)
Público: 37.950 pagantes
Renda: R$ 3.724.211,46
Gols:
PALMEIRAS: Dudu, aos 36 minutos do 1º Tempo, e Borja, aos 7 minutos do 2º Tempo
PALMEIRAS: Weverton; Mayke, Antônio Carlos, Edu Dracena e Victor Luis; Thiago Santos, Bruno Henrique e Moisés; Willian (Jean), Dudu (Hyoran) e Borja (Deyverson)
Técnico: Luiz Felipe Scolari
COLO-COLO: Orion; Zaldívia, Barroso (Morales) e Insaulrrade; Opazo, Carmona (Pinares), Baeza (Campos), Suazo, Valdívia; Barrios e Pavez
Técnico: Hector Tapia

Nenhum comentário

Regras do site

Não serão aceitos comentários que:

1. Excedam 500 caracteres com espaço;

2. Configurem crime de calúnia, injúria ou difamação;

Art. 140 - Injuriar alguém, ofendendo-lhe a dignidade ou o decoro.
Pena - detenção, de 1 (um) a 6 (seis) meses, ou multa.
É qualquer ofensa à dignidade de alguém. Na injúria, ao contrário da calúnia ou difamação, não se atribui um fato, mas uma opinião. O uso de palavras fortes como "ladrão", "idiota", "corrupto" e expressões de baixo calão em geral representam crime. A injúria pode fazer com que a pena seja ainda maior caso seja praticada com elementos referentes a raça, cor, etnia, religião ou origem.
Exemplo: um comentário onde o autor diga que fulano é ladrão, corrupto, burro, salafrário e por ai vai. Na mesma pena incorre quem, sabendo falsa a imputação, a propala ou divulga. Portanto, o titular deste blog poderá ser responsabilizado civil e criminalmente por tudo que aqui for escrito.

3. Sejam agressivos ou ofensivos, mesmo que de um comentarista para outro; ou contenham palavrões, insultos;

4. Não tenham relação com a nota publicada pelo Site.

Atenção: só serão disponibilizados no blog os comentários que respeitarem as regras acima expostas.