Olá seja bem-vindo!

Olá! Seja bem-vindo(a) ao Portal Carlino Souza, A Maior fonte de informação do interior do Estado da Bahia.  Coronel João Sá-BA,

Paulo Afonso-BA: Anilton Bastos e Luiz de Deus são investigados pelo TCM por contrato de R$ 27 milhões

O Tribunal de Contas dos Municípios da Bahia (TCM-BA) apertou o cerco contra o ex-prefeito de Paulo Afonso, Anilton Bastos (PDT), e o atual gestor Luiz de Deus (PSD). O alvo da investigação é um contrato firmado com a Cooperativa de Trabalho nas Atividades das Áreas de Saúde, Promoção e Desenvolvimento Humano (Coonectar) no valor de R$ 27,1 milhões no ano de 2016.
Segundo o TCM, o contrato firmado com a Coonectar não foi encaminhado ou apresentado à Corta, que questiona a regularidade do procedimento licitatório. Ainda de acordo com o tribunal, “o gestor não se manifestou, nem apresentou qualquer documento acerca da irregularidade registrada".
Diante das suspeitas de irregularidade no contrato, o ex-vereador de Paulo Afonso, Daniel Luiz, protocolou uma denúncia do caso no Ministério Público Federal (MPF) da cidade. 
"Fiz uma denúncia no MPF contra o ex-prefeito Anilton, com um contrato estranho e sem explicação do mesmo em 2016 e até agora o prefeito atual, seu primo, não mandou para Câmara para a aprovação devida. O TCM notificou duas vezes e perderam os prazos. Um contrato escuro com a Coonectar no valor de vinte e sete milhões de reais em que a empresa não prestou serviços”, acusou o ex-vereador.
A denúncia apresentada à Procuradoria da República no município de Paulo Afonso pede o afastamento temporário do prefeito Luiz Barbosa de Deus por 180 dias, a devolução dos valores por ventura desviados e a quebra do sigilo financeiro e telefônico dos denunciados.
Foto: PA4 / BNews

Nenhum comentário

Regras do site

Não serão aceitos comentários que:

1. Excedam 500 caracteres com espaço;

2. Configurem crime de calúnia, injúria ou difamação;

Art. 140 - Injuriar alguém, ofendendo-lhe a dignidade ou o decoro.
Pena - detenção, de 1 (um) a 6 (seis) meses, ou multa.
É qualquer ofensa à dignidade de alguém. Na injúria, ao contrário da calúnia ou difamação, não se atribui um fato, mas uma opinião. O uso de palavras fortes como "ladrão", "idiota", "corrupto" e expressões de baixo calão em geral representam crime. A injúria pode fazer com que a pena seja ainda maior caso seja praticada com elementos referentes a raça, cor, etnia, religião ou origem.
Exemplo: um comentário onde o autor diga que fulano é ladrão, corrupto, burro, salafrário e por ai vai. Na mesma pena incorre quem, sabendo falsa a imputação, a propala ou divulga. Portanto, o titular deste blog poderá ser responsabilizado civil e criminalmente por tudo que aqui for escrito.

3. Sejam agressivos ou ofensivos, mesmo que de um comentarista para outro; ou contenham palavrões, insultos;

4. Não tenham relação com a nota publicada pelo Site.

Atenção: só serão disponibilizados no blog os comentários que respeitarem as regras acima expostas.