Professores municipais de Sítio do Quinto(BA) entram em greve e presidente do Sindicato 'racha’ prefeito Jair do Correio ao meio em entrevista no rádio.


Os servidores públicos de Sítio do Quinto, continuam revoltados com o Poder Executivo. Segundo o presidente do Sindicato dos Servidores Públicos Municipais (SINSERPUB), Evando de Santana Santos “O prefeito não respeita os servidores, tem uma postura reacionária, atrasada e que vira as costas para os seus funcionários”. Os professores da rede municipal de ensino pretendem iniciar uma greve nesta segunda-feira (26) pelo não cumprimento do reajuste salarial. A paralisação foi decidida em assembleia realizada no inicio desta semana quando a proposta da prefeitura foi rejeitada. A categoria reivindica reajuste salarial de 14,45%, melhores condições de trabalho e melhoria no material básico utilizado nas aulas.

O piso salarial de professores com jornada de 40 horas semanais passou para R$ 2.455,35 em 2018. O reajuste é de 6,81% em relação ao piso de 2017, que foi de R$ 2.298,80. A categoria ainda cobra reajuste do ano 2017, que ainda não foi pago pela atual gestão.  O reajuste é anual e acontece sempre em janeiro, de acordo com a Lei do Piso, de 2008. O piso pago atualmente é referente ao ano 2016.

O início da greve dos professores que deve se estender por tempo indeterminado, quando uma nova assembleia deve ser realizada pela categoria.  Ainda não se sabe quantas escolas municipais irão aderiram à paralisação. No entanto, ainda não há um balanço total do número de professores paralisados e alunos afetados. No maior colégio municipal da cidade, o Santo Antônio, cerca de 60% dos professores entrarão em greve. 

93 dos 175 professores, e outras categorias decidiram cruzar os braços. 60% dos associados irão seguir as orientações do estatuto da entidade. Consultado pela nossa reportagem, o prefeito Jair do Correio, disse que a situação financeira a qual enfrenta é difícil. “Há queda no repassasse e nem sempre o esperado é atingindo como gostaríamos que fosse”. Vamos sentar com a categoria para discutirmos e encontrar um entendimento, pois vejo que os alunos serão os grandes prejudicados, avaliou o gestor. A onde está a consciência dos professores questionou Jair por telefone á redação do portal Carlino Souza. O presidente do sindicato sabe que não há condição nenhuma desse reajuste ser repassado como a entidade deseja, lamentou Jair, alegando crise financeira e falta de recursos.

Em sua rede social, o presidente da Entidade, Evando de Santana Santos, deixou a seguinte mensagem: Passando para informá-los que houve uma reunião conforme o prefeito havia oficializado e foi uma reunião sem sucesso, uma vez que o prefeito juntamente com seus assessores jurídicos e a secretaria de educação não apresentaram nenhuma tabela e nenhuma proposta de reajuste nem o cumprimento do piso salarial do magistério, mas a preocupação é iniciar as aulas com os profissionais docentes e os servidores não docentes ficaram mais um ano ou quatro anos sem aumento de salário, portanto, esperamos todos os servidores na segunda-feira para iniciar nosso grito de guerra em prol do nosso piso salarial do magistério e reajuste dos servidores. Prefeito, nem o passado como era nem o presente como está...

Ao Portal Carlino Souza, uma professora declarou que o gestor não tem dialogo, e respeito com a categoria.  Cobramos do prefeito Jair do Correio mais seriedade com as Leis da Educação e os cumprimentos delas. "Ele foge da responsabilidade e quer jogar a população contra nos professores, que estamos trabalhando e lutando pelos nossos direitos.

Em entrevista à Rádio Jeremoabo Fm, o presidente do Sindicato rachou o prefeito ao meio quando disse estar surpreso com as atitudes do gestor, pois não esperava que o 'poder viesse subir à cabeça', disparou Evando. 

O ano letivo está previsto a começar nesta segunda-feira(26) com o inicio de uma greve.  Fico triste, pois o gestor teve 14 meses para analisar a nossa proposta e fez vista grossa, pontuou o presidente. Na última reunião ocorrida no dia 18 de Agosto o prefeito disse não poder dar o nosso reajuste.

Nos sentimos ofendidos pois Jair não abriu esse diálogo com os pais, alunos e com o sindicato. Entendemos isso como um afronto, disse o presidente. 

Sempre cobramos a reestruturação do quadro de alunos. A queda de receita em virtude do número de alunos, fez com o que a atual gestão não tivesse o cuidado, de se adequar aos recursos que recebe. A gestão do prefeito Jair gasta aproximadamente R$ 100 mil com comissionados, em grande parte por apadrinhamento político. Só a folha dos servidores temporários chegou a R$ 30 mil, avaliou o presidente. 

O sindicalista ainda acrescentou: “Por ser um governo novo, que nos sempre lutamos, acreditamos, esperávamos que ele pudesse ser mais transparente, mais próximo do povo, lamentou Evando. Hoje é visível a luta de Jair na questão de nos machucar e a gente não vai permitir isso em gestão nenhuma. Ele precisa rever os conceitos e a consciência dele e vê o exemplo dos demais gestores que passaram na administração pontuou Evando.

A relação "azeda" entre sindicato, professores e gestor só está apenas se iniciando, ao que tudo indica que até o fim de mandato, Jair sofrerá pressões e cobranças por parte de uma entidade que há anos vem fazendo diferenças no resultados das urnas, disse um analista político ao portal Carlino Souza. 


A greve que se inicia nesta segunda-feira(26) deve causar um desgaste muito grande na imagem do professor e prefeito Jair do Correio, quando então pregou um discurso totalmente diferente em campanha política. Na mesma segunda, o gestor pretende se reunir com a classe e toda população na câmara de vereadores a partir das 18h.

Da redação, Portal Carlino Souza

Nenhum comentário

Regras do site

Não serão aceitos comentários que:

1. Excedam 500 caracteres com espaço;

2. Configurem crime de calúnia, injúria ou difamação;

Art. 140 - Injuriar alguém, ofendendo-lhe a dignidade ou o decoro.
Pena - detenção, de 1 (um) a 6 (seis) meses, ou multa.
É qualquer ofensa à dignidade de alguém. Na injúria, ao contrário da calúnia ou difamação, não se atribui um fato, mas uma opinião. O uso de palavras fortes como "ladrão", "idiota", "corrupto" e expressões de baixo calão em geral representam crime. A injúria pode fazer com que a pena seja ainda maior caso seja praticada com elementos referentes a raça, cor, etnia, religião ou origem.
Exemplo: um comentário onde o autor diga que fulano é ladrão, corrupto, burro, salafrário e por ai vai. Na mesma pena incorre quem, sabendo falsa a imputação, a propala ou divulga. Portanto, o titular deste blog poderá ser responsabilizado civil e criminalmente por tudo que aqui for escrito.

3. Sejam agressivos ou ofensivos, mesmo que de um comentarista para outro; ou contenham palavrões, insultos;

4. Não tenham relação com a nota publicada pelo Site.

Atenção: só serão disponibilizados no blog os comentários que respeitarem as regras acima expostas.