Aprovado estatuto que regula ações da Câmara do Turismo do Sertão

Representantes do poder público, entidades da iniciativa privada e sociedade civil aprovaram, na terça-feira (29), em Alagoinhas (120 quilômetros de Salvador), o “Estatuto da Câmara Técnica Caminhos do Sertão”, que compreende os municípios de Adustina, Aramari, Araci, Banzaê, Canudos, Cipó, Conceição da Feira, Euclides da Cunha, Feira de Santana, Itapicuru, Irará, Monte Santo, Santa Bárbara, Sítio do Quinto e Tucano. A iniciativa tem o apoio da Secretaria do Turismo da Bahia.
Durante a reunião realizada na Fundação Iraci Gama, o diretor de Regulação e Certificação dos Serviços Turísticos da Setur, Divaldo Borges, falou sobre a importância do estatuto. “É imprescindível que as ações da câmara estejam ajustadas ao estatuto que estabelece sua missão, finalidade, direitos e obrigações, dentre outros aspectos”, afirmou.
Instituídas pela Lei Estadual do Turismo, as câmaras das zonas turísticas são instâncias de governança cujo objetivo é articular o desenvolvimento do setor.Também cabe a elas promover a elaboração ou adequação de planos de desenvolvimento do turismo e acompanhar a implantação de projetos de Turismo. “O trabalho conjunto entre setor público e iniciativa privada propicia maior resultado para o plano de fortalecimento das regiões turísticas”, disse Divaldo Borges.
A reunião contou com a presença do prefeito de Alagoinhas, Joaquim Neto; secretários dos municípios que compõem a zona turística Caminhos do Sertão, e lideranças do trade turístico.
Caminhos do Sertão
A zona turística agrega grande potencial para o turismo nos mais diversos segmentos. Entre os destaques estão o Turismo Religioso, em Monte Santo e Serrinha, onde é realizada, há quase 90 anos, a Procissão do Fogaréu.

Nenhum comentário

Regras do site

Não serão aceitos comentários que:

1. Excedam 500 caracteres com espaço;

2. Configurem crime de calúnia, injúria ou difamação;

Art. 140 - Injuriar alguém, ofendendo-lhe a dignidade ou o decoro.
Pena - detenção, de 1 (um) a 6 (seis) meses, ou multa.
É qualquer ofensa à dignidade de alguém. Na injúria, ao contrário da calúnia ou difamação, não se atribui um fato, mas uma opinião. O uso de palavras fortes como "ladrão", "idiota", "corrupto" e expressões de baixo calão em geral representam crime. A injúria pode fazer com que a pena seja ainda maior caso seja praticada com elementos referentes a raça, cor, etnia, religião ou origem.
Exemplo: um comentário onde o autor diga que fulano é ladrão, corrupto, burro, salafrário e por ai vai. Na mesma pena incorre quem, sabendo falsa a imputação, a propala ou divulga. Portanto, o titular deste blog poderá ser responsabilizado civil e criminalmente por tudo que aqui for escrito.

3. Sejam agressivos ou ofensivos, mesmo que de um comentarista para outro; ou contenham palavrões, insultos;

4. Não tenham relação com a nota publicada pelo Site.

Atenção: só serão disponibilizados no blog os comentários que respeitarem as regras acima expostas.