Ribeira do Pombal-BA: PRF aprende 30 mil pares de calçados falsos; valor supera R$ 1 milhão

Uma carga de sapatos falsificados avaliado em mais de R$ 1 milhão foi apreendida nesta segunda-feira (24) em Ribeira do Pombal, no nordeste do estado.
Segundo a Polícia Rodoviária Federal (PRF-BA), o material, com cerca de 30 mil pares, estava em uma carreta. A mercadoria foi descoberta durante fiscalização no km 170 da BR-110, por volta das 15h30. Ainda segundo a PRF, a equipe fazia abordagens na rodovia quando o motorista da carreta, ao avistar os policiais, tentou contornar o trevo para não ser parado. A atitude chamou a atenção dos agentes que seguiram até o veículo.
Na abordagem, o condutor alegou que estava viajando vazio, fato desmentido assim que a lona que cobria a carroceria foi erguida: o veículo transportava quase 30 mil pares de calçados, a maioria de falsificações de marcas famosas.
Apenas uma pequena parte, cerca de 5% da carga, era de produtos verdadeiros com nota fiscal. Ao ser desmascarado, o condutor admitiu conhecer a natureza da carga que levava.
Ele contou ter pego a mercadoria em Nova Serrana, oeste de Minas Gerais, conhecida como importante polo calçadista, mas que também produz falsificações. A carga seria distribuída em diversas cidades do Nordeste, sendo Fortaleza, no Ceará, o último destino. O motorista foi levado para a delegacia de polícia judiciária para prestar esclarecimentos sobre o crime de violação de direito autoral.
BN

Nenhum comentário

Regras do site

Não serão aceitos comentários que:

1. Excedam 500 caracteres com espaço;

2. Configurem crime de calúnia, injúria ou difamação;

Art. 140 - Injuriar alguém, ofendendo-lhe a dignidade ou o decoro.
Pena - detenção, de 1 (um) a 6 (seis) meses, ou multa.
É qualquer ofensa à dignidade de alguém. Na injúria, ao contrário da calúnia ou difamação, não se atribui um fato, mas uma opinião. O uso de palavras fortes como "ladrão", "idiota", "corrupto" e expressões de baixo calão em geral representam crime. A injúria pode fazer com que a pena seja ainda maior caso seja praticada com elementos referentes a raça, cor, etnia, religião ou origem.
Exemplo: um comentário onde o autor diga que fulano é ladrão, corrupto, burro, salafrário e por ai vai. Na mesma pena incorre quem, sabendo falsa a imputação, a propala ou divulga. Portanto, o titular deste blog poderá ser responsabilizado civil e criminalmente por tudo que aqui for escrito.

3. Sejam agressivos ou ofensivos, mesmo que de um comentarista para outro; ou contenham palavrões, insultos;

4. Não tenham relação com a nota publicada pelo Site.

Atenção: só serão disponibilizados no blog os comentários que respeitarem as regras acima expostas.