publicidade

www.instagram.com/carlinosouzaoficial

Delegado é preso na Bahia suspeito de abuso de autoridade e recebimento de dinheiro

Outros dois servidores da polícia civil também foram detidos.

Delegado Nilo Ebraim que já atuou em Brumado é preso por policiais da Corregedoria da Polícia Civil

Acusado de abuso de autoridade e recebimento de dinheiro para beneficiar pessoas alvos de inquéritos policiais no município de Carinhanha (BA), o delegado de Polícia Civil Nilo Ebrahim Ribeiro (foto) foi preso, na manhã desta quinta-feira (11/05), na cidade de Guanambi (BA). 
Outros dois servidores da Polícia Civil também foram detidos: um deles, identificado com o prenome Jeremias, foi preso quando estava de plantão no presídio do município de Guanambi e o segundo ainda não teve o nome divulgado. De acordo com informações da polícia, há um quarto acusado envolvido no esquema, identificado como Cleiton, contra o qual já existe um mandado de prisão expedido, mas ele não fora encontrado. As prisões foram coordenadas por homens da Força Tarefa da Corregedoria da Polícia Civil.

Conforme apurado pelo site Sudoeste Bahia, no mês de maio do ano passado, membros da Corregedoria da Polícia Civil de Salvador, estiveram no município de Carinhanha, investigando as denúncias contra o referido delegado.



Fonte: Vilson Nunes / Sudoeste Bahia


Nenhum comentário

Regras do site

Não serão aceitos comentários que:

1. Excedam 500 caracteres com espaço;

2. Configurem crime de calúnia, injúria ou difamação;

Art. 140 - Injuriar alguém, ofendendo-lhe a dignidade ou o decoro.
Pena - detenção, de 1 (um) a 6 (seis) meses, ou multa.
É qualquer ofensa à dignidade de alguém. Na injúria, ao contrário da calúnia ou difamação, não se atribui um fato, mas uma opinião. O uso de palavras fortes como "ladrão", "idiota", "corrupto" e expressões de baixo calão em geral representam crime. A injúria pode fazer com que a pena seja ainda maior caso seja praticada com elementos referentes a raça, cor, etnia, religião ou origem.
Exemplo: um comentário onde o autor diga que fulano é ladrão, corrupto, burro, salafrário e por ai vai. Na mesma pena incorre quem, sabendo falsa a imputação, a propala ou divulga. Portanto, o titular deste blog poderá ser responsabilizado civil e criminalmente por tudo que aqui for escrito.

3. Sejam agressivos ou ofensivos, mesmo que de um comentarista para outro; ou contenham palavrões, insultos;

4. Não tenham relação com a nota publicada pelo Site.

Atenção: só serão disponibilizados no blog os comentários que respeitarem as regras acima expostas.