publicidade

Sítio Folia

Escândalo! Goleiro denuncia tentativa de suborno: R$15 mil em troca de dois gols

Uma tentativa de suborno pode manchar a imagem do Campeonato Catarinense deste ano. O goleiro do Inter de Lages-SC, Neto Volpi, denunciou que uma pessoa lhe ofereceu R$ 15 mil em troca de 'uma ajudinha'. O atleta deveria sofrer dois gols na partida contra o Joinville. As mensagens teriam sido trocadas por WhatsApp.
Após a denúncia, o próprio clube registrou um Boletim de Ocorrência, onde acusa Fred Nelson de Oliveira Marques, presidente do Andraus, clube da Segunda Divisão paranaense, de tentar subornar o goleiro.
O empresário, que é ex-jogador de futebol, entrou em contato com Volpi teria oferecido dinheiro para que sofresse dois gols. No entanto, o atleta recusou e denunciou o caso, sendo apoiado pelo Inter de Lages.
Apesar de a proposta ter sido referente à partida contra o Joinville, o clube afirmou não ter qualquer tipo de envolvimento com o caso, além de se disponibilizar a ajudar nas investigações.
"O Joinville Esporte Clube nega qualquer envolvimento com a suposta tentativa de negociação para o goleiro Neto Volpi, do Internacional de Lages, sofrer propositalmente dois gols no jogo deste sábado, contra o JEC. O clube também nega conhecer os senhores Fred e Diogo Braga, citados no Boletim de Ocorrência registrado pelo presidente do Inter, Christopher Nunes, nesta semana. De qualquer forma, lamentamos que no futebol ainda existam pessoas que ignoram o espírito esportivo para se beneficiar com atitudes ilícitas, como apostadores que tentam comprar o resultado de um jogo, por exemplo", afirmava a nota oficial.
O Andraus, clube de Fred Nelson, não se pronunciou sobre o caso.

Nenhum comentário

Regras do site

Não serão aceitos comentários que:

1. Excedam 500 caracteres com espaço;

2. Configurem crime de calúnia, injúria ou difamação;

Art. 140 - Injuriar alguém, ofendendo-lhe a dignidade ou o decoro.
Pena - detenção, de 1 (um) a 6 (seis) meses, ou multa.
É qualquer ofensa à dignidade de alguém. Na injúria, ao contrário da calúnia ou difamação, não se atribui um fato, mas uma opinião. O uso de palavras fortes como "ladrão", "idiota", "corrupto" e expressões de baixo calão em geral representam crime. A injúria pode fazer com que a pena seja ainda maior caso seja praticada com elementos referentes a raça, cor, etnia, religião ou origem.
Exemplo: um comentário onde o autor diga que fulano é ladrão, corrupto, burro, salafrário e por ai vai. Na mesma pena incorre quem, sabendo falsa a imputação, a propala ou divulga. Portanto, o titular deste blog poderá ser responsabilizado civil e criminalmente por tudo que aqui for escrito.

3. Sejam agressivos ou ofensivos, mesmo que de um comentarista para outro; ou contenham palavrões, insultos;

4. Não tenham relação com a nota publicada pelo Site.

Atenção: só serão disponibilizados no blog os comentários que respeitarem as regras acima expostas.