Coronel João Sá-BA: Promotor recebe processo do ex-prefeito Romualdo que havia desaparecido há anos

O Ministério Público do Estado da Bahia ajuizou Ação de Improbidade administrativa contra JOSÉ ROMUALDO SOUZA COSTA, Ex-prefeito Municipal de Coronel João Sá/BA. O Promotor de Justiça informou na inicial que o mesmo auferiu vantagens patrimoniais indevida em razão do exercício do mandato; disse ainda que em novembro e dezembro de 2004 o ex-prefeito pagou o abono salarial dos professores do ensino fundamental da rede pública de modo incompleto.
O promotor relata ainda que processos de pagamento foram forjados; que a agência do Banco do Brasil de Coronel João Sá, informou que as folhas de pagamento apresentadas pela promotoria não foram recebidas naquela agência embora constasse carimbo de protocolo e assinatura de funcionários do Banco; que o ex-prefeito montou as folhas de pagamento para justificar os valores pagos e assim desviar o dinheiro; que o mesmo enriqueceu ilicitamente e causou prejuízo ao erário publico.
O Sindicato dos Trabalhadores em Educação do Estado da Bahia fez requerimento ao Promotor de Justiça de Jeremoabo em 26 de outubro de 2012 requerendo o prosseguimento do feito sobre alegação de que o mesmo encontrava-se sem movimentação e que o referido feito interessa a todos naquela comunidade.
Foram feitas algumas diligencias de munícipes junto ao cartório Civil onde estar cadastrado o processo para dar vista nos autos, mas, foram surpreendentemente informados por certidão com data de 07 de Outubro de 2015, que o processo não foi localizado dentro do cartório Civil.
No ultimo dia 11 de abril de 2017 o Promotor de Justiça o Senhor Dr. Leonardo Cândido recebeu copia do processo que estava desaparecido do cartório civil da comarca de Jeremoabo/BA podendo dessa forma proceder com a restituição dos autos.

Nenhum comentário

Regras do site

Não serão aceitos comentários que:

1. Excedam 500 caracteres com espaço;

2. Configurem crime de calúnia, injúria ou difamação;

Art. 140 - Injuriar alguém, ofendendo-lhe a dignidade ou o decoro.
Pena - detenção, de 1 (um) a 6 (seis) meses, ou multa.
É qualquer ofensa à dignidade de alguém. Na injúria, ao contrário da calúnia ou difamação, não se atribui um fato, mas uma opinião. O uso de palavras fortes como "ladrão", "idiota", "corrupto" e expressões de baixo calão em geral representam crime. A injúria pode fazer com que a pena seja ainda maior caso seja praticada com elementos referentes a raça, cor, etnia, religião ou origem.
Exemplo: um comentário onde o autor diga que fulano é ladrão, corrupto, burro, salafrário e por ai vai. Na mesma pena incorre quem, sabendo falsa a imputação, a propala ou divulga. Portanto, o titular deste blog poderá ser responsabilizado civil e criminalmente por tudo que aqui for escrito.

3. Sejam agressivos ou ofensivos, mesmo que de um comentarista para outro; ou contenham palavrões, insultos;

4. Não tenham relação com a nota publicada pelo Site.

Atenção: só serão disponibilizados no blog os comentários que respeitarem as regras acima expostas.