Prefeito de Ribeira do Pombal recebe o 3º maior salário entre as capitais do país; valor supera o pago a Rui Costa

Salário de capital, cidade do interior. O salário do prefeito de Ribeira do Pombal/BA, Ricardo Maia (PSD), é o 3º maior entre as capitais do Brasil. O valor de R$ 24.000,00, que passou a valer em 1º de janeiro de 2017, é inferior apenas a Curitiba (R$ 26.723,13), São Luís (R$ 25.000,00) e São Paulo (R$ 24.117,62). O novo salário do prefeito pombalense supera também o governador da Bahia, Rui Costa, que recebe mensalmente a quantia de R$ 22.900,00.

O novo valor foi aprovado pela Câmara de Vereadores em 04 de abril de 2016 e é superior 33,3% em relação ao antigo (R$ 18.000,00), que vigorou até dezembro do mesmo ano. O aumento não seguiu a tendência das grandes cidades, em que os prefeitos decidiram congelar seus respectivos salários, a exemplo de Salvador/BA, onde ACM Neto (DEM) manteve os R$ 18.038,10 mensais que recebeu durante seu primeiro mandato.

Outro caso de repercussão nacional é o do prefeito de São Paulo/SP, João Doria (PSDB), que além de congelar o salário, anunciou a doação de todos os valores que receberá durante o período à frente da prefeitura paulistana. R$ 17.948,00 referentes ao valor líquido de janeiro – R$ 24.117,62 é o bruto – foram doados à AACD (Associação de Assistência à Criança com Deficiência).


A nova remuneração contrasta diretamente com a situação do município pombalense, onde segundo o IBGE (Instituto Brasileiro de Geografia e Estatísticas), 81,5% dos domicílios possuem rendimento per capita de até 1 salário mínimo. Em contrapartida, os R$ 24.000,00 que são pagos mensalmente ao prefeito, equivalem a quase 26 salários mínimos.

Gazetta do Mel

Nenhum comentário

Regras do site

Não serão aceitos comentários que:

1. Excedam 500 caracteres com espaço;

2. Configurem crime de calúnia, injúria ou difamação;

Art. 140 - Injuriar alguém, ofendendo-lhe a dignidade ou o decoro.
Pena - detenção, de 1 (um) a 6 (seis) meses, ou multa.
É qualquer ofensa à dignidade de alguém. Na injúria, ao contrário da calúnia ou difamação, não se atribui um fato, mas uma opinião. O uso de palavras fortes como "ladrão", "idiota", "corrupto" e expressões de baixo calão em geral representam crime. A injúria pode fazer com que a pena seja ainda maior caso seja praticada com elementos referentes a raça, cor, etnia, religião ou origem.
Exemplo: um comentário onde o autor diga que fulano é ladrão, corrupto, burro, salafrário e por ai vai. Na mesma pena incorre quem, sabendo falsa a imputação, a propala ou divulga. Portanto, o titular deste blog poderá ser responsabilizado civil e criminalmente por tudo que aqui for escrito.

3. Sejam agressivos ou ofensivos, mesmo que de um comentarista para outro; ou contenham palavrões, insultos;

4. Não tenham relação com a nota publicada pelo Site.

Atenção: só serão disponibilizados no blog os comentários que respeitarem as regras acima expostas.