Falsa médica é presa por exercício ilegal da profissão em Canudos-BA

Uma mulher de 31 anos foi presa por exercício ilegal da medicina na noite do sábado (15), no município de Canudos, norte da Bahia. De acordo com a Polícia Civil, a suspeita utilizava o registro do Conselho Regional de Medicina (CRM) de uma médica de Salvador. As informações foram passadas ao G1, na manhã deste domingo (16), pelo delegado Paulo Jason Mello Falcão, titular da Delegacia de Euclides da Cunha e responsável pela região.
Segundo o delegado, a polícia chegou até a falsa médica após receber uma denúncia da profissional dona do registro utilizado pela suspeita, que ficou sabendo da atividade criminosa por colegas de profissão. A falsa médica foi presa em flagrante no Hospital Municipal Canudos, onde trabalhava há alguns meses. O G1 tentou falar com a Prefeitura de Canudos, mas não conseguiu contato.
Conforme Falcão, no momento da prisão, a mulher confessou que não possuía registro no CRM, mas disse que tinha se formado em medicina na Bolívia. Com a suspeita, a polícia apreendeu algumas receitas assinadas por ela, além de um carimbo com o nome da profissional, infomou o delegado.
De acordo com o delegado, ainda durante a prisão, a falsa médica contou que era natural da cidade de Mantena, em Minas Gerais, e que morava na Bahia há quatro meses. A mulher foi encaminhada para a Delegacia de Euclides da Cunha, onde está à disposição da Justiça. Ela foi autuada por exercício ilegal da medicina e por falsa identidade.
Ainda segundo o delegado Paulo Jason Mello Falcão, a Polícia Civil irá investigar se há relação entre a falsa médica e um homem de 40 anos, que também foi preso por exercer a medicina ilegalmente no município de Quijingue, distante cerca de 300 km de Salvador, na sexta-feira (16).
Conforme as informações passadas ao G1 pelo delegado Equiber dos Santos Alves, titular de Quijingue, o falso médico trabalhava no Hospital Municipal da cidade há quatro meses, com registro do Conselho Regional de Medicina (CRM) de um médico licenciado, que não sabia da situação. No momento da prisão, o suspeito também disse que era formado em uma universidade da Bolívia. 
Assim como a mulher presa em Canudos, o suspeito foi autuado por exercício ilegal da medicina e por falsa identidade. O homem foi encaminhado para a Delegacia de Quijingue, onde está à disposição da Justiça.

Ainda não segue CARLINO SOUZA nas redes sociais? Corre lá!

Nenhum comentário

Regras do site

Não serão aceitos comentários que:

1. Excedam 500 caracteres com espaço;

2. Configurem crime de calúnia, injúria ou difamação;

Art. 140 - Injuriar alguém, ofendendo-lhe a dignidade ou o decoro.
Pena - detenção, de 1 (um) a 6 (seis) meses, ou multa.
É qualquer ofensa à dignidade de alguém. Na injúria, ao contrário da calúnia ou difamação, não se atribui um fato, mas uma opinião. O uso de palavras fortes como "ladrão", "idiota", "corrupto" e expressões de baixo calão em geral representam crime. A injúria pode fazer com que a pena seja ainda maior caso seja praticada com elementos referentes a raça, cor, etnia, religião ou origem.
Exemplo: um comentário onde o autor diga que fulano é ladrão, corrupto, burro, salafrário e por ai vai. Na mesma pena incorre quem, sabendo falsa a imputação, a propala ou divulga. Portanto, o titular deste blog poderá ser responsabilizado civil e criminalmente por tudo que aqui for escrito.

3. Sejam agressivos ou ofensivos, mesmo que de um comentarista para outro; ou contenham palavrões, insultos;

4. Não tenham relação com a nota publicada pelo Site.

Atenção: só serão disponibilizados no blog os comentários que respeitarem as regras acima expostas.